Está aqui

Artigos publicados

Baja Portalegre, ou como um evento desportivo se torna o meio de promoção de uma Região

O crescimento e desenvolvimento sustentado que o Alentejo tem vindo a ter nos últimos anos tem sido preconizado por um conjunto de vectores estratégicos que convergem para um dos seus grandes pilares de retorno económico – o Turismo. Com uma extensão demográfica ampla e combatendo a desertificação, a Região do Alentejo, através da sintonia entre organismos, municípios e freguesias, tem conseguido atingir níveis significativos de crescimento.

Alentejo, do paraíso turístico aos tesouros por explorar: O Castelo Real de Valongo

Com uma vasta variedade de recursos, a Região Alentejana, através de políticas de desenvolvimento sustentado, teve nos últimos anos um significativo crescimento a nível turístico. Numa perspectiva global, os dados estatísticos são por si só evidentes da oferta diversificada, onde o Alentejo surge como um dos territórios mais procurados da Europa. A grande convergência entre Municípios e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo permitiu não só uma divulgação de excelência, como, o reconhecimento nacional e internacional através de sucessivos prémios e certificações.

Quando o Alentejo fazia tremer os grandes e o dia em que Pusckas quase vestiu a camisola do Lusitano de Évora

A estreia de um clube alentejano no campeonato nacional da 1ª divisão deu-se na época de 1945/46, através do extinto Sport Lisboa e Elvas, onde conseguiu duas participações, surge então “O Elvas”, a primeira grande potência do futebol na região alentejana com duas participações no escalão maior.

Cidadania e ruralidade

Em tempos idos, onde no Alentejo profundo as dificuldades sociais implicavam um conjunto de comportamentos que aproximavam as suas gentes, factores como a solidariedade e confiança, estimulavam o aparecimento de movimentos cívicos e associativos onde a cooperação e espontaneidade eram indicadores de relevo. No fundo, actos que de forma inata permitiam às populações intervir de forma activa perante os mais variados quadrantes da vida política, cultural e social do seu território.

Évora, Cidade Capital Europeia da Cultura 2027 e a Feira Medieval 2018

Depois de ter vencido, no quadrante institucional, o início de uma longa caminhada rumo ao objectivo final, a cidade e as suas forças precisam neste momento de ser proactivas e dinâmicas junto dos mais variados agentes locais.