Está aqui

Ambiente

Produção de hidrogénio verde com tecnologia portuguesa chega a Évora

Dois parques para a produção a baixo custo de hidrogénio verde, com tecnologia desenvolvida em Portugal e considerada “inovadora e pioneira” no mundo, estão a ser instalados no concelho de Évora, num investimento de 4,8 milhões de euros.

A empresa que está a desenvolver o projeto H2 Évora é a Fusion Fuel. Um dos parques localiza-se junto ao parque industrial da cidade e o outro perto da localidade de Nossa Senhora da Tourega.

Programa Bairros Saudáveis sofre “impasse” no financiamento

O Programa Bairros Saudáveis registou “um impasse” no financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que atrasou o início dos 246 projetos aprovados, exigindo-se a prorrogação do prazo até final de 2022.

Em declarações à agência Lusa, Helena Roseta, coordenadora do projeto, afirmou que “tivemos um impasse no programa, tivemos que suspender, porque não se conseguia resolver o impasse, porque não conseguíamos assinar o protocolo com a Estrutura de Missão do PRR”.

Nova aplicação sobre pesca tem marca alentejana

Amanhã, dia 26, será apresentada a nova aplicação “Pesca em Portugal” e que contribuirá para o conhecimento sobre a distribuição e abundância das espécies de peixes de água doce nas bacias hidrográficas nacionais, através da compilação de informação temática relativamente às capturas realizadas no âmbito das atividades de pesca recreativa.

Associação de Beneficiários do Mira nomeada a prémio pelas suas más práticas

A Associação de Beneficiários do Mira está nomeada para o prémio Guarda-Rios de Luto (más práticas), uma iniciativa promovida pelo Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) que pretende alertar para aquelas que têm sido as práticas positivas e negativas nos rios portugueses.

Portalegre investe 5 milhões em iluminação inteligente

A Câmara Municipal de Portalegre anunciou que está a ser implementado em todo o concelho um novo sistema de iluminação pública com lâmpadas LED, num investimento de mais de 5 milhões de euros.

Investigador de Évora lidera estudo sobre 94 espécies ameaçadas no México

Um estudo internacional, liderado por Diogo Alagador, investigador do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED) da Universidade de Évora (UÉ), permitiu apurar qual o desempenho esperado das áreas protegidas na região central do México para a proteção de 94 vertebrados terrestres (10 anfíbios, 13 repteis, 50 aves e 21 mamíferos), com níveis variados mas preocupantes de ameaça, sobre diferentes cenários de mudança climática na região.

Via Verde quer encurtar distância de carros elétricos entre Alentejo e Espanha

A Via Verde, em parceria com a Brisa, instalou postos da Ionity e da Cepsa na A6 – Autoestrada Marateca/Caia, estando já instalados no concelho de Estremoz quatro postos de carregamento elétrico ultrarrápidos, algo que permite encurtar a distância com Espanha para os veículos elétricos.

Parque Natural do Vale do Guadiana passa a ter comissão de cogestão

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática anunciou a constituição de mais duas novas comissões de cogestão de áreas protegidas de âmbito nacional, referentes ao Parque Natural do Douro Internacional e ao Parque Natural do Vale do Guadiana (nos municípios de Mértola e de Serpa).

Plano de Recuperação faz avançar barragem do Pisão e estradas no Alto Alentejo

A Estrutura de Missão Recuperar Portugal - responsável por implementar o Plano de Recuperação e Resiliência - está já na fase de contratualização com a no que se que respeita ao Empreendimento Hidráulico para Fins Múltiplos do Crato (a nova barragem do Pisão), garantiu, esta semana, na Assembleia da República, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Alentejo: produtores de cereais unem-se para salvar águia em extinção

Chama-se a águia-caçadeira (Circus pygargus) - é também conhecida como tartaranhão-caçador - e é a mais pequena das águias europeias.

É uma das aves em maior risco de extinção da fauna terrestre nacional, e alimenta-se sobretudo de insetos, mas também passeriformes, répteis e pequenos mamíferos, principalmente ratos. A sua distribuição é maior nas planícies alentejanas, frequentando terrenos abertos com poucas árvores, nomeadamente áreas coincidentes culturas cerealíferas.

Páginas