Está aqui

Artigos publicados

Saúde – há muito que o rei vai nu

Segundo notícias bem recentes, a falta de médicos e enfermeiros nos serviços de obstetrícia e ginecologia está a afetar a mortalidade materna. O alerta foi dado há poucos dias atrás pela Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e no Parto, numa altura em que a Associação Europeia de Medicina Perinatal define a situação da obstetrícia em Portugal como “muito preocupante”.

Cuidado com a inflação

Segundo dados publicados recentemente pelo INE a inflação em Portugal dispara para 7,2% em abril, sendo o valor mais alto dos últimos 29 anos. Comparando como o mês de março, tivemos um aumento de 1,9 pontos percentuais, que, de acordo com a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE), este aumento é influenciado pelos produtos energéticos e alimentares não transformados.

Os riscos do regresso de Trump

São vários os candidatos republicanos apoiados pelo ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que garantiram vitórias nas primárias realizadas recentemente nos Estados Unidos da América (EUA).

Donald Trump andou no terreno e manifestou todo o seu apoio a vários candidatos. Desta forma, está a garantir a base de apoio republicana para as próximas eleições presidenciais dos EUA. Pelo menos tudo indicia que sejam assim.

O que se passa com o PCP?

Por António Costa da Silva

A posição do PCP em relação à invasão russa na Ucrânia tem sido bastante estranha. O PCP entrou num beco sem saída, por sua livre e inteira responsabilidade. Não podem culpar os outros.

Ora vejamos, o PCP ignorou totalmente o foco desta guerra: a invasão russa à Ucrânia. As justificações do PCP, quando referem o papel da NATO e o papel dos Estados Unidos da América na guerra, não fazem qualquer sentido. Estamos a fugir ao foco das responsabilidades do invasor. Aqui o invasor é a Rússia.

A Tentação – não podemos deixar matar o Alentejo

O Alentejo caracteriza-se pela excelência ambiental e patrimonial, estando associado a estas excelentes vantagens uma identidade cultural extremamente forte.

Associado a estas fortes características, altamente diferenciadoras de grande parte de outras regiões, o Alentejo tem associado a si um conjunto de produtos e serviços que são altamente valorizados e diferenciadores: a gastronomia, o turismo (nas suas diferentes vertentes associadas às características do território), produtos regionais (o pão, o vinho, os enchidos, o azeite, a doçaria e compotas, o mel, a cortiça, etc, etc).

As crueldades cometidas na guerra da Ucrânia são imperdoáveis!

À medida que as tropas russas vão deixando o Norte da Ucrânia, vem ao decima uma realidade de horror: corpos de civis pelas ruas, de mãos atadas, queimados ou enterrados em valas comuns, corpos de mulheres nuas abandonados na estrada e animais abatido, e muitas outras atrocidades difíceis de descrever.

É possível dizer que há uma guerra da Ucrânia antes das atrocidades em Bucha e outra após a realização das mesmas.

Numa primeira fase, dois meses após a invasão russa, é possível ver imagens que mostram a dimensão da destruição na Ucrânia.

E viva a Democracia!

O dia 24 de Março marcou o momento em que o tempo em democracia ultrapassou os anos que duraram a ditadura portuguesa. Esta data coincidiu com as comemorações oficiais dos 50 anos do 25 de Abril. Um marco.

Em termos práticos, temos mais pessoas em Portugal que viveram só no período da democracia, do que todos aqueles que atravessaram os dois períodos.

Felicito a solidariedade na União Europeia

Chegam às fronteiras da Polónia, Hungria e Eslováquia com a Ucrânia, com cartazes, dando apoio, oferecendo bens e lugares nas suas viaturas para quem quer partir. Oferecem muitas vezes as suas casas para acolher as famílias ucranianas que foge á guerra.

São muitos os voluntários estrangeiros, de múltiplas nacionalidades, que conduziram uma enormidade de horas para apoiar os refugiados ucranianos. É notável!

Estes cidadãos ucranianos tiveram que sair das suas terras, no meio de bombardeamentos, trazendo os seus filhos para a ´´segurança´´ europeia.

Uma guerra à nossa porta

A guerra já começou há algum tempo. Ao contrário do que se vai comentando e argumentando por aí, na minha modesta opinião, esta guerra começou em 2014. Começou com a anexação da Crimeia.

Como recompor o PSD?

O PSD é um partido grande. Continua a ser o principal partido da oposição no parlamento português. Apesar de ter perdido as eleições, as responsabilidades do PSD continuam a ser enormes. Exige-se mais ainda, isto porque no contexto de uma maioria absoluta, ao maior partido da oposição espera-se uma vigilância cerrada e um escrutínio permanente, mas sobretudo, uma forte exigência à governação da nova maioria socialista.

Páginas