Está aqui

Opinião

Será que nos dizem a verdade?

Por muito que queira dar asas à imaginação e tentar escrever sobre outros assuntos, eventualmente mais optimistas ou consensuais, é difícil escapar à questão da pandemia. Infelizmente, os dias passam e parece não haver uma luz ao fundo do túnel.

Dei-te tudo

Dei-te o mundo. Pelo menos o meu.

Dei-te as minhas lágrimas, dei-te a minha dor e continuo do avesso.

Perdi a minha voz, o meu olhar, perdi-me em ti e ainda não me encontrei.

Dei-te o meu ar junto da minha mão e largaste-a. Caiu tão suavemente que só senti quando voltei a ter um frio desconhecido, será? Tão desconhecido assim?

Fiz as pazes com a dor e jogamos xadrez. Caída nela, dá-me forças (ironicamente), não me puxando contra si, não desistindo de mim.

Hoje, contra o vento furioso, despeço-me da tua sombra que me persegue inconscientemente.

Covid e medidas com sentido

A ameaça por COVID-19 que o mundo enfrenta, e que se tornou realidade em Portugal no início do mês de Março, tem feito parte do quotidiano e tem dominado notícias e conversas. De um momento para o outro, passámos a ouvir expressões como crescimento exponencial, curvas de crescimento, ponto de inflexão, modelos SIR e muitas outras expressões de cariz matemático. Para a grande maioria das pessoas, estas expressões pouco dizem e pouco importam e as atenções viram-se para o número diário de novos infectados e a percentagem de variação face ao dia anterior.

Dermatobia hominis

Lá vou eu buscar o nome latino para outra das minhas crónicas. Pois bem, assim foi de modo a não assustar o senhor leitor e até a deixar a sua curiosidade mais afinada.

Sucata da CP - um excelente negócio

Recentemente o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos anunciou em um negócio espetacular efetuado pela CP, de copra de 51 carruagens usadas e que vão ser reabilitadas nas oficinas de Guifões, as quais foram compradas por 1,65 milhões de euros, o preço aproximado de duas carruagens novas.. Segundo o governante, com um investimento substancialmente inferior, a CP conseguirá reforçar mais rapidamente o seu parque com carruagens mais modernas.

Fundos de Investimento Regional

Por Jorge Pais, Presidente da Associação Empresarial de Portalegre

Tempo sem senso

O tempo mandou avisar que leva tudo, insistindo que nem o que parece cruel o é. Que tudo acabará por ter um sentido, por mais impiedoso que pareça.

Deito-me com o olhar dirigido para as nuvens, que formando desenhos inconstantes, parecem dançar com o azul claro do céu. Isso é bom, certo? Está claro simbolizando tranquilidade. Fecho os olhos e quem está a nadar agora sou eu. É a minha vez de sonhar com um mundo utópico; será que ele chegará para mim?

És um abutre!

Esta é a história de Feliciano Fortunato da Silva Feliz. Não é uma história qualquer, mas uma fábula que procura apelar ao vosso sentido de compaixão mais profundo por uma criatura que apesar do nome, foi sempre o oposto. Nascido abutre, era tão feio como a própria ave. Tinha no seu bico e face todas as características negativas que faziam dele temível. Nasceu careca e sem penas. Dotado apenas de uma leve penugem, as penas lá foram crescendo. Em todos os lugares menos na cabeça. Sempre foi discriminado, por todos.

Socorro, acordei no Big Brother

Há muitos, muitos anos atrás, quando ainda era criança, um dos meus desportos favoritos consistia em procurar descobrir a forma de abrir o diário secreto onde a minha irmã depositava os seus mais preciosos e inexpugnáveis pensamentos. Aquilo parecia o Fort Knox.

Felizmente fracassei sempre.

Mantodea

Chamava-se Mantodea. Tinha 28 anos e um curso universitário. Era uma criatura de pernas longas e um vestido verde longo de gala, uma mulher linda! Sabia que o era. E fazia uso disso. Mantodea depois de acabar o curso mudou de cidade e foi viver para o Algarve. Antes, em Beja, sempre fora uma rapariga discreta. Numa cidade de insectos, Mantodea fez o seu percurso de forma muito discreta. Andou de um lado para o outro e em Beja era uma pessoa que passava despercebida. Nunca ninguém notou que Mantodea era, verdadeiramente, uma assassina. Nem eu sabia.

Páginas