Está aqui

Fundos Comunitários

HOSPITAL DE BEJA GANHA NOVO INVESTIMENTO DE 1,2 MILHÕES

A ULSBA - Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, EPE vai investir 1,2 milhões em equipamento de ponta para o serviço de Imagiologia.

Com recurso a Fundos Comunitários, a candidatura do projeto ao Programa Operacional Regional Alentejo 2020 já foi aprovada, vai ser possível modernizar o equipamento do Serviço de Imagiologia do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, sendo substituídos os aparelhos de TAC, de Raio X convencional e portátil, dois ecógrafos e uma estação digital de Mamografia, além de outros equipamentos informáticos que suportam este serviço.

ÁGUAS DO ALENTEJO ABRE A TORNEIRA DOS MILHÕES

É objetivo da Águas Públicas do Alentejo (AgdA) – junta a Águas de Portugal, em representação do Estado e a Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública – investir, até 2020, cerca de 61 milhões de euros em projetos espalhados pelo Alentejo, tendo, para o efeito, apresentado seis candidaturas ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no uso de Recursos (POSEUR).

FINALMENTE COMPLEXO DESPORTIVO EM ÉVORA

Já há data para a abertura do complexo Desportivo de Évora e terá direito a toda a pompa e circunstância.

Será inaugurado a 27 de julho, pelas 18h30, com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, do Presidente do Conselho diretivo do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Augusto Fontes Baganha, do Diretor Regional do Alentejo do IPDJ, João Araújo e do edil eborense Pinto de Sá.

CAMPO MAIOR INVESTE EM CENTRO DE CUIDADOS CONTINUADOS

O Município de Campo Maior, no Distrito de Portalegre, vai apresentar a candidatura a fundos comunitários para a construção de um Centro de Cuidados Continuados, que vai ficar instalado na antiga escola preparatória da vila. O promotor do investimento é a cooperativa Raya Mayor, que conta com o apoio do município.

CUBA INVESTE 380 MIL EUROS EM PARQUE DESPORTIVO

O Parque Desportivo e de Lazer – que será inaugurado amanhã, 10 de julho, pelas 17h30, com a presença do ex-jogador da Seleção Nacional de Futebol, Manuel Fernandes – vem dar a esta localidade alentejana uma nova estrutura para a prática de diversas modalidades desportivas.

Representa um investimento global de cerca de 380 mil euros - 180 mil euros são Fundos Comunitários via INALENTEJO – e ocupa uma área de 6.500 m2.

PRÉMIO INTERNACIONAL PARA PROJETO DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA

“Reabilitação dos Habitats de Peixes Diádromos na Bacia Hidrográfica do Mondego”, é o nome do projeto coordenado pela Universidade de Évora (UÉ) e da responsabilidade científica de Pedro Raposo de Almeida e que foi galardoado com o prémio internacional Distinguished Project in Fisheries Engineering and Ecohydrology, atribuído em conjunto pela American Society of Civil Engineers (Environmental & Water Resource Institute), e pela American Fisheries Society (Bioengineering Section).

REGUENGOS VAI TER NOVA CARA

O projeto de requalificação e modernização da Praça da Liberdade, em Reguengos de Monsaraz (Évora), recebeu a aprovação de cerca de 690 mil euros para a execução da obra através de Fundos Estruturais da União Europeia, ao abrigo do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

ÉVORA VAI REQUALIFICAR O CENTRO HISTÓRICO

O centro histórico de Évora e o seu comércio vão contar com um investimento de cerca de 15 milhões de euros, com apoio de fundos comunitários, através do programa Portugal 2020.

ALENTEJO RUMO AO DESENVOLVIMENTO

O Alentejo parece navegar a velocidade de cruzeiro, rumo à Competitividade, Inovação e Conhecimento, procurando ao mesmo tempo aumentar a valorização do espaço regional. Como? É simples, através dos projetos submetidos e aprovados no programa INALENTEJO - Programa Operacional Regional do Alentejo 2017-2013, que absorveu 100% dos fundos europeus que constituíam a sua dotação.

MUSEU DE ARQUEOLOGIA REABRE EM SERPA

Após uma intervenção ao nível do edifício e da própria coleção em exposição, o Museu Municipal de Arqueologia de Serpa está de novo aberto ao público.

esta requalificação representou um investimento de cerca de 976 mil euros, cofinanciados pelo FEDER e envolveu a colaboração entre a Câmara de Serpa, a Direção Geral do Património Cultural, a Direção Regional de Cultura do Alentejo, o Museu Nacional de Arqueologia e o Instituto Português de Museus.

Páginas