Está aqui

Empresas

Importadores internacionais presentes em Évora, Beja e Portalegre

O projeto “Alentejo Global Export” vai trazer a Beja, Évora e Portalegre prospetores internacionais entre hoje, segunda-feira, e a próxima quarta-feira.

De acordo com a Rádio Pax, vão estar no Alentejo dez importadores e distribuidores provenientes da Alemanha, Espanha e Luxemburgo.

Esta iniciativa é promovida pelo NERBE/AEBAL (Beja), NERE (Évora) e NERPOR (Portalegre), no âmbito das Missões com Importadores e Distribuidores Internacionais.

Comporta recebe projeto imobiliário de 2,3 mil milhões

A Vanguard Properties lançou, esta quarta-feira, a marca “Terras da Comporta” na sequência da estratégia de marketing delineada para o seu projeto situado no coração da Comporta (loteamentos Torre e Dunas).

Em comunicado, citado pelo Jornal Económico, a empresa refere que “este é o projeto mais emblemático [da Vanguard] e engloba os loteamentos ‘Torre’, em Alcácer do Sal e o ‘Dunas’, em Grândola, num total de 1 367 hectares e mais 2 300 milhões de investimento previsto”.

Portalegre: investimento de 3,3 M€ para expandir incubadora tecnológica

Foi lançada, na passada semana, a primeira pedra do novo edifício da BioBIP, a incubadora tecnológica do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP).

Na cerimónia simbólica estiveram o ainda reitor do IPP, Albano Silva, e o Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Alentejo (CCDRA), António Ceia da Silva.  

Empresas de Évora investem 2,2 milhões para apoiar produção nacional

19 empresas do distrito de Évora vão investir um total de 2,2 milhões de euros, com um apoio comunitário de 900 mil euros, no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN), avança a agência Lusa.

Em comunicado, a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), que abrange todos os concelhos do distrito de Évora, indicou que os projetos de investimento apresentados ao PAPN por estas 19 empresas já foram aprovados.

Elvas: António Costa Silva na conferência “O Alto Alentejo a Crescer” 

António Costa Silva, coordenador do Programa Económico para Portugal 2020-2030 e a cara do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), estará presente 1ª edição da Conferência “O Alto Alentejo a Crescer”.

Costa Silva será um dos oradores desta conferência que decorrerá no Hotel Vila Galé Collection, em Elvas, a 4 de setembro, numa organização da revista digital Empreendedores, especialista em assuntos relacionados com economia.

Canadianos e espanhóis regressam ao Alentejo para prospeção de zinco

A empresa canadiana Avrupa Minerals e a espanhola Minas de Aguas Teñidas estão a fazer prospeção de cobre e zinco na região do Alentejo, avança o Jornal de Negócios.

Depois de terem abandonado o projeto em 2014, as duas empresas voltaram à região este ano para fazer um mapeamento mais detalhado, afirmando estar confiantes no potencial geológico da região.

Delta Cafés eleita como “a melhor empresa” e “o melhor espírito de equipa”

É sabido que o fundador da Delta, Rui Nabeiro alicerça no trabalho de equipa o crescimento e sucesso da sua empresa, dizendo recorrentemente que “Eu não trabalho para mim, nem quem trabalha para mim trabalha para eles próprios, nós trabalhamos uns para os outros”. Ora este mote será uma das bases que levou a que a Delta Cafés tenha sido distinguida na 10ª edição dos Prémios Human Resources 2021 como a “Melhor Empresa” e a empresa com melhor “ Espírito de Equipa”.

Centro de Inteligência Competitiva de Campo Maior ainda este ano

As previsões para a entrada em funcionamento do Centro de Inteligência Competitiva (CIC) de Campo Maior são de que, até final 2021, esteja pronto a funcionar.

Esta iniciativa representa um investimento de um milhão de euros, cofinanciado por fundos comunitários do programa Alentejo 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Delta é a empresa nacional mais atrativa para trabalhar

Um estudo Randstad Employer Brand Research identificou as 20 empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal e a alentejana Delta lidera a lista.

Medidas de apoio ao trabalho disparam para 1182 milhões de euros

As medidas de apoio aos custos do trabalho (sobretudo o ‘layoff’ e o apoio à retoma progressiva) somaram quase 650 milhões de euros entre janeiro e março, contra 143 milhões de euros em 2020, segundo avança hoje o Diário de Notícias.

Entre os apoios às empresas, as Finanças destacam as medidas de apoios a custos fixos das empresas no âmbito do programa Apoiar, que têm uma execução de 533 milhões de euros no primeiro trimestre e já mais do que triplicaram em 2021 face ao valor de todo o ano de 2020.

Páginas