Está aqui

Vinho

Reguengos de Monsaraz acolhe Conferência Mundial de Enoturismo

Em 2020, Reguengos de Monsaraz, irá acolher a quinta edição da Conferência Mundial de Enoturismo. Nesta edição, que decorre no Alentejo, está já prevista a apresentação da primeira Carta Mundial de Enoturismo.

Este anúncio foi feito em Torres Vedras, onde decorreu o 10.º Congresso Internacional de Enoturismo e o terceiro da Europa.

Os chineses estão encantados com o Alentejo

Os chineses estão encantados com o Alentejo e com as maravilhas alentejanas.

Como o TA referiu, há um interesse enorme no Porto de Sines e na importação e abate de suínos no concelho de Reguengos de Monsaraz, mas o gigante oriental desperta agora também para a agricultura alentejana e para o vinho.

Amanhã, o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, o alentejano Luís Capoulas Santos, receberá o ministro da Administração Geral das Alfândegas da República Popular da China, Ni Yuefeng.

Hoje está um belo dia para se passar em “São Miguel”

Hoje está mesmo um belo dia para ir até à Herdade de São Miguel. O tempo lá passa mais passa devagar, típico de quando se está em boa companhia e rodeado de saberes e sabores tradicionais do Alentejo.

Hoje, as portas da Herdade de São Miguel da Casa Relvas, em Redondo, estão abertas para receber mais “Um dia em São Miguel”, um dia muito aguardado por apreciadores de vinho e amantes do campo, e do Alentejo e que promete ser diferente e muito animado.

A longa metamorfose do vinho alentejano

O vinho alentejano mudou muito nos últimos 30 anos e sempre com um crescimento significativo.

No 11.º Simpósio de Vitivinicultura do Alentejo, que decorreu nesta semana, Francisco Mateus, presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) revelou que dos 720 mil litros certificados em 1990, o vinho alentejano passou a ter 85 milhões de litros em 2018.

Nasceu um vinho especial de homenagem a Rui Nabeiro

Foi em Campo Maior que nasceu Rui Nabeiro e é em Campo Maior que agora surge um vinho especial de homenagem ao fundador das reconhecidas marcas Delta e Adega Mayor.

Esta última, lançou agora vinho dedicado "aos afetos e ao coração" – como referiu João Manuel Nabeiro, administrador do Grupo Delta-Cafés – e que servirá de homenagem ao Comendador.

Agropecuária, azeite e vinho - está de regresso parte da História de Estremoz

A agropecuária, o azeite e o vinho – além da gastronomia de modo geral, da tradição e animação - regressam em força a Estremoz.

Vem aí a 33ª edição da Feira Internacional Agropecuária de Estremoz – FIAPE e começa no próximo dia 1 de maio.

Integrados na feira, existirão vários concursos como o XXIV Concurso de Cozinha Alentejana, o VII Concurso Regional de Azeites – Prémio FIAPE e o V Concurso de Vinhos de Estremoz e aos quais se juntam, este ano, o II Concurso Nacional de Ovinos Suffolk e o XX Concurso Nacional de Jovens Reprodutores de Raça Charolesa.

Alentejo com vinhos de ouro

Há vinhos de ouro no Alentejo. Não será uma novidade, mas é um facto que a edição 2019 do célebre concurso alemão “Mundus Vini” vem confirmar.

Avaliados por 260 especialistas internacionais em vinhos, provenientes de 5 países diferentes, e que passaram seis dias a avaliar os cerca de 7.200 vinhos em competição, foram vinte e oito os vinhos alentejanos premiados com medalhas de ouro e prata.

 

Confira os premiados:

Angola levou cerca de 6 milhões de euros em vinho alentejano

No ano de 2018, os angolanos compraram cerca de 6 milhões de euros de vinho alentejano.

Existem 79 produtores de vinhos Alentejo a exportar para Angola; são cerca de 350 marcas de vinho alentejano que chegam assim a mesas angolanas. Números que sustentam a tendência de crescimento das exportações dos vinhos alentejanos. Na última década, os vinhos alentejanos triplicaram as suas vendas e exportam já para 115 mercados internacionais, com grande destaque para Brasil – o único país a comprar mais que Angola - Angola, Estados Unidos, Suíça e Polónia.

 

Ervideira entra no mercado dos vinhos biológicos

A casa alentejana Ervideira, da Vendinha, Évora, acaba de lançar o tinto Bio Nature e entra assim no mercado dos vinhos biológicos. Assinado pelo enólogo Nelson Rolo, o Ervideira Bio Nature é feito com as castas Trincadeira, Aragonez e Cabernet Sauvignon e vai custar entre 12,5 e 15 euros a garrafa.

Nelson Rolo caracteriza este vinho como "aromaticamente fino, exuberante, sedutor, onde se destaca a madurez das amoras, groselhas e ameixas".

 

Páginas