Está aqui

Vida

O puzzle da vida

Por Anna Kosmider Leal

Há um dia

Há um dia, há 42 anos, faz hoje muitos dias nascia um bebé, em casa. Foram duas as parteiras que muito admiro. Uma delas já não está entre nós. A outra sim. Não me recordo de ter nascido. Recordo-me sim de ter vivido até agora. Foram muitos e muitos anos em sítios tão diferentes como Portugal e Timor! Por ambos me apaixonei, como me apaixonei de igual forma pela África do Sul, pelos Estados Unidos e por tantos outros lugares onde passei e vivi. Viver é bonito! Nascer ainda mais, só não temos consciência do acto e depois do tempo que passamos até chegar ao ponto onde atualmente estamos.

Último Segundo

Estamos os dois sentados com as pernas estendidas. O sol, envergonhado, lança pequenos raios de cores quentes avisando que se vai despedir em breve. Tal como nós.

Acredito que ambos nos decidimos ficar pelo silêncio confortável por não saber passar para palavras o que estamos a sentir neste momento, nesta situação. Os nossos pensamentos queimam num volume estridente. Entre as nossas respirações tristes e irregulares, estico a minha mão até esta entrelaçar num amor profundo com o dono de um amor impossível.

Solstício, Yule, saturninas e Natal

Solstício é a palavra que surge do latim soll + sistere, que significa “sol não se mexe”.

Astronomicamente, classifica o momento em que o sol incide com maior intensidade num dos hemisférios da Terra, é o ponto em que o sol atinge a sua declinação máxima ou mínima (verão ou inverno) em relação ao Pólo Norte. Este fenómeno acontece devido aos movimentos de rotação e translação da Terra.

Acontece duas vezes por ano e, enquanto no hemisfério norte, hoje acontece o solstício de Inverno quando forem às 15:58h em Portugal Continental.

O gato cinzento

Há molduras à minha volta. Elas abraçam-me e é fácil de distinguir o cheiro a antigo. Há pinturas nelas de sem abrigos que berram solidão e pedidos de ajuda. Os pretos nas mesmas trazem até mim arrependimento.

Caminho até à rua com passos lentos sabendo o que me espera. São três da manhã e a lua está desenhada de forma a cintilar e refletir no preto dos meus olhos. O frio cumprimenta cada pelo no meu braço e relembro o quão quente estava há minutos. O vento brinca suavemente com os meus caracóis e sinto o meu corpo a congelar.

53% dos jovens do interior consideram mudar-se para o litoral

Mais de 50% dos jovens entre os 15 e os 25 anos, residentes no interior de Portugal, consideram mudar-se para o litoral, apontam dados de um estudo realizado à população portuguesa.

Oportunidades de emprego e de educação são identificadas como as razões mais apontadas para essa eventual mudança, num estudo que faz parte do conteúdo do “Pequeno Livro Aberto Sobre o Interior”, lançado pelo Gerador, uma plataforma independente de jornalismo, cultura e educação.

É hora de dizer “Morte à Pena de Morte”

Hoje assinala-se o Dia Mundial Contra a Pena de Morte.

A data pretende sensibilizar os países e as populações contra a pena de morte e defender o mais essencial dos direitos humanos e do qual advêm todos os outros: direito à vida!

Este dia foi criado em 2003, numa iniciativa conjunta de organizações não governamentais, governos e organizações jurídicas e repudiando a Organização das Nações Unidas (ONU) e a União Europeia a legalidade e o uso da pena de morte.

A concentração

Há demasiadas distrações no nosso dia e na nossa vida. As coisas acontecem e repetem-se distraindo-nos do essencial. Esse mesmo que nos não sabemos qual é nem o que é. Há coisas e momentos que se cruzam connosco e que não conseguimos decifrar. A concentração é fundamental para chegar ao momento em que o resultado do movimento chega ao final sem ter intermédios.

A queimar no bolso e por dentro

Numa noite de primavera do ano de 1934, um senhor de certa idade desceu os degraus de pedra que levam a uma das pontes....

“Pago com uma nota de 5 euros. Retiro algumas moedas de troca. A nota permanece no balcão. O lojista cumprimenta-me e desaparece na sala dos   fundos. Eu, distraidamente retiro a nota de 5 euros, despeço-me e caminho em direção à saída."

A história, no entanto, não foi assim, mas sim assim:

“Retiro conscientemente a nota de 5 euros, digo adeus e caminho para a saída”.

Páginas