30 Março 2019      17:24

Está aqui

Universidade de Évora quer prever sinistralidade

A Universidade de Évora – UÉ quer prever a sinistralidade e conta com um aliado de peso: a inteligência artificial.

Neste sentido, a Universidade de Évora e a GNR de Setúbal criaram uma parceria em que estão a desenvolver um programa de inteligência artificial que fará a previsão e agirá de modo a reduzir a sinistralidade nas zonas mais críticas de Setúbal.

O projeto de investigação foi batizado de MOPREVIS -- Modelação e Predição de Acidentes de Viação no Distrito de Setúbal – o distrito nacional de maior relevância na sinistralidade grave – e esta plataforma localizará os pontos com maior probabilidade de acidentes rodoviários e definirá ações que possam reduzir a sinistralidade nos mesmos.

É um projeto de cerca de 300 mil euros financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia – FCT e encontra-se inserido no eixo da inovação INCoDe.2030, um programa governamental de apoio a projetos de investigação para tratar os dados recolhidos pela administração pública com mecanismos de inteligência artificial.

O projeto - coordenado por Paulo Infante, professor do Departamento de Matemática da Escola de Ciências e Tecnologia - ECT e investigador do Centro de Investigação em Matemática e Aplicações - CIMA da UÉ – conta com uma equipa multidisciplinar de investigadores, das áreas de Probabilidades e Estatística, Informática, Sistemas de Informação Geográfica e Sociologia da academia alentejana.

 

Imagem de pendenciashoje.blogspot.com

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.