11 Julho 2020      11:26

Está aqui

Sucata da CP - um excelente negócio

Recentemente o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos anunciou em um negócio espetacular efetuado pela CP, de copra de 51 carruagens usadas e que vão ser reabilitadas nas oficinas de Guifões, as quais foram compradas por 1,65 milhões de euros, o preço aproximado de duas carruagens novas.. Segundo o governante, com um investimento substancialmente inferior, a CP conseguirá reforçar mais rapidamente o seu parque com carruagens mais modernas.

Sobre os negócios em torno dos comboios e carruagens deixo alguns apontamentos por ordem cronológica. Depois, cada um retire as conclusões que entender.

 

Junho de 2016

CP vende comboios velhos para sucata mas exige sigilo ao comprador. A CP tem à venda um lote de 91 veículos ferroviários, composto por carruagens e vagões destinados a sucata. Notícia do Jornal Público em 28 de Junho de 2016.

 

Fevereiro de 2018

Locomotivas centenárias são sucata para a CP e estão à venda para abate.

Locomotivas a vapor do início do séc. XX e carruagens dos anos 30 fazem parte de um lote de sucata que a CP pôs à venda para demolição. Amigos dos caminhos-de-ferro contestam decisão. Locomotiva portuguesa “irmã” das que a CP quer demolir é considerado Monumento Nacional da República Francesa desde 1992. Jornal Público em 28 de Fevereiro de 2018

´´A existência de três locomotivas a vapor de via estreita e três carruagens “napolitanas” numa lista de 37 veículos ferroviários considerados sucata pela CP e que deverão ser vendidos para demolição, indignou os grupos de amigos dos caminhos-de-ferro que consideram aquele material de interesse histórico e museológico.

Em causa estão máquinas a vapor estacionadas há décadas nas estações da Régua e do Tua, compradas em 1913 e 1923 à fábrica alemã Henschell & Sohn, Kassel. Foram concebidas para caminhos-de-ferro de via estreita sinuosos, com curvas muito apertadas e rampas severas, como eram o caso das linhas do Tâmega, Corgo, Tua e Sabor, onde rebocaram comboios de passageiros e de mercadorias. Circularam também nas linhas de via estreita dos arredores do Porto e a partir de 1975 foram gradualmente abatidas do serviço.

Este tipo de locomotivas são únicas no mundo e só existiram em Portugal e no Caminho-de-Ferro Hedjaz, na actual Síria.

O seu interesse patrimonial é elevado tendo em conta que duas máquinas desta série foram adquiridas à CP por operadores turísticos franceses e uma delas é considerada desde 1992 Monumento Nacional da República Francesa. Trata-se da E211, propriedade hoje do GECP – Groupe d’Études pour le Chemin de Fer de Provence, em Nice, e que se encontra em estado de funcionamento.

Em Abril do ano passado a CP vendeu duas dessas carruagens para Espanha a fim de integrarem um caminho de ferro turístico.

“O abate destas carruagens de passageiros não faz sentido, em especial quando temos presente que, ainda recentemente, para o aproveitamento do que resta da linha do Tua o projecto privado [Douro Azul] teve necessidade de adquirir material rebocado novo no estrangeiro”, diz António Brancanes, presidente da APAC (Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos de Ferro).´´

 

Junho de 2019

Plano para a CP. Reabilitar comboios velhos, mais contratações e fusão com Emef. Governo aprovou novo plano estratégico para a CP. Investimentos de 45 milhões, contratação de 187 efetivos e fusão com a Emef. Prioridade é reabilitar material antigo. OBSERVADOR em 27 junho 2019

``Pedro Nuno Santos falava no briefing do Conselho de Ministros onde foi aprovado esta quinta-feira a nova estratégia para a CP. Em causa está um plano a três anos que pretende, numa primeira fase, fazer a reabilitação de material circulante “encostado” e mais tarde desenvolver uma modernização mais completa de algum do material. Em causa estão cerca de 70 unidades, entre vários tipos de material ferroviário, incluindo automotoras, locomotivas e até comboios usados nos serviços suburbanos.´´

 

Julho de 2020

«No último ano fez-se na ferrovia o que não se fazia há décadas»: Site do Governo de Portugal em 6 de julho de 2010.

´´Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, visita carruagens compradas pela CP à Renfe, Guifões, Matosinhos, 6 julho 2020

O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, acompanhado do Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, visitou as carruagens recém-adquiridas pela CP à transportadora espanhola Renfe.

Trata-se de 51 carruagens com condições de conforto equivalentes ou superiores às usadas atualmente pela CP nos comboios Intercidades - compradas por 1,65 milhões de euros, o preço aproximado de duas carruagens novas – e que serão agora reabilitadas nas oficinas de Guifões. Desta forma, com um investimento substancialmente inferior, a CP conseguirá reforçar mais rapidamente o seu parque com carruagens mais modernas´´.

Com estas informações dá para perceber os ´´excelentes´´ negócios que têm sido feitos em tornos das sucatas dos comboios e carruagens.

Uma coisa é certa, que estamos na linha da frente da sucata ferroviária, estamos.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.