Está aqui

Europa

Alentejo nos destinos mais seguros da Europa

O Alentejo é uma das regiões mais seguras da Europa, a par de outras nacionais como a Madeira, os Açores, e o Algarve no top dos “destinos mais seguros” da Europa e de mais umas dezenas por toda a Europa.

Ao todo, são 21 as regiões europeias que a “European Best Destinations” escolheu como os melhores destinos para as férias em tempo de covid-19, e Portugal é um beneficiado por ter tido poucos casos da pandemia, comparativamente a outros países e regiões da Europa.

O dia D foi há 76 anos

Em linguagem militar significa o dia da decisão, o dia de início de uma operação militar de combate.

A sua utilização remonta à Primeira Grande Guerra e foi utilizada pelo exército norte-americano “D-Day”. Hoje em dia, a expressão vulgarizou-se de tal modo que é utilizada de modo geral por toda a sociedade para enunciar um dia em alguma coisa se desenvolverá ou acontecerá.

Hoje, 6 de junho, celebra-se o aniversário de um dos “Dias Ds” mais importantes da história do mundo: os 71 anos do Desembarque na Normandia, por parte das tropas aliadas, em plena 2ª Guerra Mundial.

Praia alentejana da Comporta é a segunda mais segura da Europa

Todo o alentejano já foi à Comporta, se não agora, antes das remodelações que a tornaram uma das praias mais desejadas de Portugal e por onde já passaram famosos como Madonna e Shakira, Harrison Ford e Christian Louboutin.

Com a pandemia, surgiu uma certificação de praias seguras a nível europeu, a European Safest Beaches 2020, e que atribuiu à praia alentejana o título de segunda mais segura da Europa no portal European Best Destinations.

Ainda o Dia da Europa e o projeto europeu por realizar

No dia de ontem, foi possível assistir a magníficos, inspirados e sedutores discursos dos líderes dos diferentes países, a exortar os princípios e os valores da União Europeia. É curioso que neste altura de crise se apele à coragem e à resiliência dos europeus na luta contra este inimigo comum em forma de vírus, que afetou todos os países e que nos demonstrou grandes fragilidades, do ponto de vista político e sanitário.

A curto prazo, será inevitável, como consequência deste tempo estranho que vivemos, uma grave crise económica.

Há 75 anos calavam-se as armas na Europa

A 8 de maio de 1945, há precisamente 75 anos, as armas finalmente calaram-se na Europa. A Segunda Guerra Mundial, desencadeada pela Alemanha nazi em 1939, havia terminado no continente europeu, já que ainda se arrastaria pela Ásia até agosto. 8 de maio marca a capitulação incondicional da Wehrmacht, as forças armadas de Adolf Hitler e o Dia da Vitória na Europa.

Europa lança prémio "Piaçaba de Ouro" para as "empresas diabólicas que levam a melhor"

Um conjunto de associações da sociedade civil uniu-se no propósito de “homenagear” as empresas multinacionais que mais abusam das soluções de justiça privada (ISDS) que faz

A música de hoje: o hino da Europa e da Fraternidade

O Hino da Alegria, ou Ode à Alegria (original alemão “Ode an die Freude”), é o nome do poema escrito por Friedrich Schiller, em 1785, e cantado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Ludwig van Beethoven, composta em 1823.

Esta melodia foi a escolhida, em 1972, para ser o hino do Conselho da Europa e, mais tarde, em 1985, foi adotado para simbolizar a UE, uma vez que exalta ideais europeus como a liberdade, a paz e a solidariedade.

Abril 4.0

Afirmar Abril não é mais do que estabelecer um conjunto de prioridades e fundamentos para a governação de um país, de uma região ou de um concelho, em que os valores da liberdade, da justiça e da solidariedade têm de estar acima de qualquer conjuntura. Neste desígnio, não há desenvolvimento sem liberdade, não há bem-estar social sem justiça, nem tão pouco sustentabilidade ambiental sem solidariedade.

A importância das eleições europeias

Estão a aproximar-se a passos largos as eleições europeias. A campanha já começou a ritmo acelerado, com alguns candidatos a dar a conhecer as suas ideias e programas para os mandatos que se propõem assumir.

Em Portugal já são conhecidos os candidatos, estando os líderes dos partidos a acompanhar os mesmos nas diversas acções de campanha que ocorrem.

Foi exatamente numa dessas acções de campanha que vimos Assunção Cristas afirmar que as eleições europeias deveriam servir como ato de censura ao Governo português.

O Interior é Europa

Os territórios de fronteira protagonizam hoje, como no passado, um campo de batalha ideológica e pautam o avanço ou conservadorismo de uma sociedade ou estrutura política. Basta olharmos para a campanha do muro com o México, nos EUA, ou a discussão em torno do Backstop, entre as Irlandas, para percebermos que estas regiões são ainda de grande fricção, mas também protagonizam espaços de oportunidade e esperança.

Páginas