Está aqui

Crónica Literária

Janeiro

O ano começara no dia um, precisamente às zero horas. A festa tinha sido de arromba para todos, exceto para aquela mulher que se esvaía em sangue no quarto de um hotel a muitos quilómetros de casa. Podia ainda ouvir lá fora o fogo de artifício e as festividades, enquanto as lágrimas lhe corriam pela cara abaixo e no rosto traços de sangue marcavam a sua pele como se fossem rasgos e marcas de guerra, tribais.

Yoga

Yolanda gritava com toda a gente. Tinha o feitio mais execrável que havia à face da terra. Era polícia, tinha dois metros e não havia homem que a derrotasse quando entrava numa luta. Yolanda tinha nascido assim, bruta, pura, por esculpir e muito se orgulhava de assim ser.

Xisto

É de xisto que a minha pele é feita. É desta pedra dura mas que se divide e se adapta que a minha metamorfose existe. Dentro e fora dela, a minha pele despede-se em camadas como se lascas de xisto se tratassem.

Os meus olhos, ao acordarem no mundo e a terem consciência de mim, viram abaixo das árvores e plantas e terra, abaixo, as pedras de xisto que as acolhem, que as suportam. Tal como o xisto suporta o Alentejo, também o Alentejo me acolhe e me envolve.

Gastrologia

Chico Alfarroba dava todo um novo significado à palavra gastrologia. Nascido numa família de longa tradição de comilões, Chico Alfarroba tinha nascido completamente o oposto de toda a família. A alcunha ganhara-a por ossos do oficio. Mas disso falaremos adiante. Permiti-me caracterizar a família de Francisco António da Cruz Feliciano da Silva Guimarães Guerra e Gonçalves. A mãe e o pai tinham uma tasca no meio da vila.

Três peras

As palavras-chave são a coisa que nos ajuda a chegar a algum lugar, sem passar por caminhos tortuosos. Tantas vezes somos confrontados com situações em que aquilo que procuramos dizer ou transmitir não sai da forma como queremos. Isto pode ser um problema e é assim tantas vezes.

X (de xis) anos depois – Uma memória por quem não quer esquecer:

Ou: Instantâneo Moral.

Ou: Ode ao Desencantado.

Ou: Manifesto pela Inocência Perdida.

Ou ainda, em código: FKYU * S. (de Schäuble)

ESCADA ROLANTE

A luta começou voraz. Os dois homens agrediam-se mútua e violentamente, no fundo de uma escada. À volta deles, uma multidão de curiosos que sempre se agrega a qualquer confusão ou acidente pela mera curiosidade de ver o sucedido, acicatar os ânimos ou esperar o desfecho de uma cena que mais parecia retirada de um filme de ação. Ninguém sabia dizer se os homens se conheciam ou o motivo do início da violência. Ninguém tinha presente o exato momento em que começara.