Está aqui

IRS

Descida do IRS em Portalegre é "populista" e "calculista"

A Assembleia Municipal de Portalegre aprovou uma proposta do PS que diminuir de 5% para 2,5% a participação variável no IRS cobrado aos habitantes do concelho. A proposta já havia sido aprovada em reunião de Câmara com os votos favoráveis dos dois eleitos PS e do eleito da CDU. O vereador do PSD e um dos eleitos da CLIP abstiveram-se, enquanto a presidente do município, eleita pela CLIP, votou contra.

Alcácer do Sal mantém IMI no valor mais baixo

O Município de Alcácer do Sal vai manter o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) no seu valor mais baixo, de 0,3 por cento para os prédios urbanos para o ano de 2019.

“Embora o IMI constitua uma fonte receita para o Município, optamos por manter a taxa no seu valor mais baixo, uma vez que entendemos ser mais importante o apoio às famílias através da manutenção do alívio da carga fiscal”, declarou o presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença.

Castro Verde reduz taxa de IRS

Uma boa notícia para quem vive em Castro Verde. O município aprovou a redução da taxa de IRS aplicada pela autarquia, de 5% para 4,5% a cobrar em 2019.

A redução na carga fiscal aos habitantes daquele concelho alentejano representa uma diminuição da receita da autarquia em cerca de 38 mil euros mas cumpre o objetivo desta em "aliviar a carga fiscal aos contribuintes", segundo António Brito (PS), presidente da Câmara Municipal, que não conseguiu a concordância dos vereadores da CDU, embora o PS governe em maioria.

 

CÂMARA DE CASTRO VERDE BAIXA IMPOSTOS

A Câmara de Castro Verde, no Baixo Alentejo, iniciou um processo de redução de impostos aos munícipes através da aprovação da fixação da taxa de participação do IRS em 4,5% para o próximo ano, no que significa uma descida de meio ponto percentual. Segundo o município este desagravamento decorrerá até pelo menos 2021, sendo que nessa altura deverá estar fixado nos 3%.

POR QUE MOTIVO NÃO RECEBO AS FATURAS QUE REGISTEI?

Apesar de já ter terminado a primeira fase da entrega do IRS, decorre neste momento a segunda fase, correspondente aos contribuintes que não tenham apenas rendimentos das categorias A e H (respetivamente, trabalhadores por conta de outrem e pensões). Além das confusões lançadas pela máquina fiscal (efatura-confirmação de faturas-afinal onde estão as minhas despesas no site-isto está tudo tramado-vamos lá arranjar uma solução), posts no facebook e respetivos comentários mostram-me, mais uma vez, que há muito desconhecimento em relação à questão financeira por parte de muitos portuguese.