Está aqui

Autoestradas

Subconcessionária da rodoviária do Baixo Alentejo é vendida a fundo francês

A Sociedade Portuguesa para a Construção e Exploração Rodoviária (SPER), detentora da subconcessão rodoviária do Baixo Alentejo, foi vendida a uma entidade detida por um fundo de investimento dos franceses da Vauban Infrastructure Partners, revela o jornal ECO.

Segundo o jornal, a subconcessão detida pela SPER abrange um total de 113,4 quilómetros de autoestrada que liga Évora, Beja e Castro Verde, sendo válida até 2039. Já a operação e manutenção da mesma é da responsabilidade da Planestrada.

Autoestradas do Baixo Alentejo despertam interesse

As autoestradas do Baixo Alentejo estão a despertar interesse e são várias as empresas e consóricos interessados em garantir a concessão destas autoestradas.

De acordo com o Jornal Económico, a francesa Ascendi, a Globalvía, a Vauban Infrastructure Partners e a 3i Infrastructure, já formalizaram a intenção, podendo ainda a TIIC e a InfraRed Capital Partners intrometer-se também nesta concessão das autoestradas alentejanas.

 

Imagem de slo-cro-klub.hr

Autoestradas do Alentejo com grande aumento de tráfego

As autoestradas do sul do país - de acordo com a Brisa, a empresa concessionária - foram as que viram um maior aumento de tráfego em 2017. N este aumento, o grande destaque vai para a A6, entre a Marateca e Elvas, e que foi a terceira, em termos percentuais, 8,6%, com maior aumento de trânsito.

A A2 – que atravessa o Alentejo de Lisboa ao Algarve – teve um crescimento de 8,1%