28 Julho 2016      12:28

Está aqui

AVENTUR4 - A ICÓNICA "PROVA" ALENTEJANA

“II CACHONDEO EN BARRÂNCU, EM R4”

“AventuR4 em redor de Barrancos”

Praça da Liberdade (Barrancos, 16 de Julho, 11:00) – eis as coordenadas do ponto de encontro para as R4 que ousaram enfrentar km, curvas e 40 oC e comparecer ao “II Cachondeo en Barrâncu, em R4”, mais uma etapa da temporada de 2016 dos “Eat-inerários Slow” pelo Alentejo, numa parceria com o Slow Food Alentejo.

Estacionada a caravana na central praça barranquenha, iniciou-se a visita a deslumbrantes e pouco conhecidas terras de Barrancos e arredores com a recepção aos convivas, que incluiu troca de algumas recordações e visita guiada ao Museu Etnográfico e Arqueológico de Barrancos. Após algumas fotografias de grupo, e com a temperatura a subir acentuadamente, a comitiva fez uma breve incursão por ruas de Barrancos (e algum do comércio tradicional) e dirigiu-se para a Sociedade Recreativa Artística Barranquense, para um descontraído e saboroso almoço em torno de sabores locais e sazonais (e.g. catalão, gaspacho). De volta à estrada, a caravana percorreu algumas das interessantes ruas de Barrancos e caminhos de terra batida da Serra Colorada, que levaram as R4 até à Piscina Municipal, para algumas calmas horas de refrigério, que se prolongou pela vizinha Encinasola, com estacionamento na sua Plaza Mayor e tinto de verano entrecortado por flamenco. De volta a Barrancos, foi tempo de saborear, no Miradouro, um prolongado jantar de sabores barranquenhos, tendo a noite terminado na mui concorrida e animada esplanada do Hotel Agarrocha.

Domingo iniciou-se com a incursão por Noudar (e.g. Múrtega e Ardila, castelo e choças, xistos e icnofósseis) e uma visita guiada à Sabores de Barrancos, que terminou com uma sápida degustação e compra de produtos (e.g. catalão, morcilha). E de novo no Miradouro, para o almoço (e.g. “berdulagas”, carne de porco alentejano), um animado convívio que culminou com a caravana a despedir-se ruidosamente por ruas de Barrancos. Contudo, a aventura por estas terras não terminaria para algumas das R4, que decidiram regressar a Noudar e atravessar o Ardila a vau, recordando os contrabandistas de outrora, e percorrer mais de uma dezena de km de terra batida até Valencia de Mombuey (a “Valencita”), para umas merecidas cañas, tendo ainda havido tempo para uma breve paragem no Parque Fotovoltaico de Amareleja…

E, assim, se celebrou uma vez mais a semper fidelis R4, numa incursão por amplas paisagens e declivosos barrancos, deslumbrantes paisagens raianas/rayanas às voltas com o Múrtega e o Ardila, num cruzamento entre o falar português, o castelhano e o barranquenho. Suspeita-se que este fim-de-semana terá sido, para os bravos presentes, pleno de "perrice", "campante" e com muita "barranquenhada" e "carcachada", pois já se antevê, a pedido de convivas "embabucados", que a caravana volte a "esculipar-se" para mais uma aventuR4 barR4nquenha...

Agradecimentos são devidos ao Marcelino, incansável anfitrião, à Câmara Municipal de Barrancos e à DAC – Publicidade, por todo o apoio prestado, à Sociedade Recreativa Artística Barranquense e ao Restaurante Miradouro, pelos sápidos repastos, aos Sabores de Barrancos, pela visita e prova proporcionadas, e aos ousados e resistentes convivas, pelo descontraído ambiente proporcionado a este cálido fim-de-semana de “cachondeo en Barrâncu”, em R4…

E aproxima-se mais uma etapa dos "Eat-inerários Slow" - o "VI Encontro por terras de Arraiolos & 55.º Aniversário da R4" (São Pedro da Gafanhoeira, 10 e 11 de Setembro)…

Texto e imagens de Vitor Lamberto, coordenador do Núcleo Alentejo do 4.Clube.Portugal

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.