Está aqui

Refinaria de Sines

Refinaria de Sines regista queda na produção petrolífera devido à pandemia

A pandemia da covid-19 provocou uma queda nas vendas e também na produção das refinarias de Sines e de Matosinhos da empresa Galp no segundo trimestre deste ano.

Apesar de apresentar uma subida de 19% na produção entre abril e junho, a petrolífera registou imparidades de 100 milhões de euros na produção de petróleo. De acordo com a empresa e como noticiado pelo Jornal Económico, as vendas de produtos petrolíferos pela Galp afundaram 43% no segundo trimestre face a período homólogo para 2.526 milhões de euros.

Refinaria de Sines retoma produção após mês de paragem

A refinaria de Sines retomou a atividade depois de mais de um mês de paragem devido à impossibilidade de escoar os combustíveis, no seguimento das dificuldades provocadas pela pandemia de covid-19.

Em declarações à Lusa, fonte da Galp Energia garantiu que o “calendário previsto para o processo de retoma gradual da produção está a ser cumprido, tendo sido já reativada a produção da refinaria de Sines”, e que “o ajustamento planeado do sistema refinador da Galp, anunciado no final de abril, continua a decorrer conforme o programado”.

Paragem da refinaria de Sines. Galp não consegue escoar combustíveis

A Refinaria de Sines vai parar a partir do dia 4 de maio, por um período de um mês, porque a Galp não tem como escoar o produto produzido, isto é, combustíveis.

Galp prevê investir 45,2 milhões em eficiência na Refinaria de Sines

A Galp prevê investir 45,2 milhões de euros na Refinaria de Sines, até 2023, com o intuito de a tornar mais eficiente. Em comunicado a empresa regista investimentos já realizados de €42,5 milhões nos últimos cinco anos e de €45,2 milhões planeados até 2023.

Sines: Autoridade da Concorrência quer acabar com hegemonia da Galp nos combustíveis

Desde 2004 que a Autoridade da Concorrência considera que há elevado grau de concentração e existência de barreiras à entrada nas actividades de refinação e armazenamento de combusttíveis em Sines.

É que a Galp detem a maioria da capacidade de depósitos de importação e refinaria no país, uma realidade que provoca condicionalismos ao nível do acesso a infraestruturas logísticas e limita a capacidade de importação por parte dos operadores e, como tal, afeta o grau de concorrência no sector.

SINES: 250 TRABALHADORES TEMEM PELOS SEUS POSTOS DE TRABALHO NA REFINARIA

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul, afetos à CGTP-IN denunciaram em comunicado que estão em causa cerca de 250 postos de trabalho do consórcio da manutenção da refinaria da Petrogal em Sines, detido por várias empresas como a EFATM, ATM, CMN e AC Services. Segundo aquele sindicato os trabalhadores já terão recebido comunicação do fim do seu contrato de trabalho "para 12 de fevereiro", o que consideram como despedimento.

GALP ENERGIA INVESTE 4 MILHÕES EM NOVA SUBESTAÇÃO ELÉTRICA EM SINES

A GALP Energia vai construir uma nova Subestação Elétrica – PT25 – na Refinaria de Sines. Segundo a Quadrante, a empresa contratada para a construção, a obra resulta de uma necessidade de aumentar a potência elétrica na Refinaria de Sines.

A nova Subestação que é constituída por um edifício de dois pisos, com cerca de mil m2 de área total de construção, deverá estar concluída no verão de 2018  e implica um investimento de cerca de 4 milhões de euros.

Imagem de capa de binarytrading.life

REFINARIA DE SINES ENTRA EM GREVE HOJE

Os trabalhadores das refinarias da Petrogal de Sines iniciam hoje uma greve de 5 dias, com início à meia noite do dia 26 de Julho e a terminar à meia noite do dia 30 de Julho.

Segundo o sindicato Fiequimetal, da CGTP, a greve acontece devido "à indisponibilidade" da Galp para negociar melhores direitos sociais para os trabalhadores, "melhores salários" e "maior distribuição da riqueza produzida".