Está aqui

Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)

Barragem do Pisão é empreendimento de interesse nacional

O Governo aprovou, em Conselho de Ministros, o decreto-lei que constitui o Empreendimento de Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos (EAHFM) do Crato, no distrito de Portalegre, como empreendimento de interesse público nacional.

Alvito e Barrancos ainda não investiram após pandemia

Os municípios de Alvito e Barrancos, ambos no Baixo Alentejo, são os únicos que ainda não gastaram nem um cêntimo dos valores aprovados no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (programa destinado a repor o crescimento económico sustentado após a pandemia), avança a Executive Digest.

Segundo o Portal da Transparência, Alvito teve o valor aprovado de 34 150 euros, enquanto Barrancos viu aprovados 900 000 euros. Contudo, as duas localidades ainda não iniciaram os investimentos do programa.

Sines vai começar a produzir hidrogénio verde

A empresa portuguesa Fusion Fuel acaba de assegurar um financiamento de 10 milhões de euros, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para avançar com o projeto de produção de hidrogénio verde, em Sines.

Em comunicado, citado pela Capital Verde, a empresa energética sediada no Sabugo revela que o projeto Hevo-Indústria é uma unidade de produção de hidrogénio verde com 6,6 megawatts de capacidade e um investimento total que ascende os 25 milhões de euros.

Universidade de Évora reforça alojamento estudantil em 105 camas

A Universidade de Évora (UÉ) vai reforçar o alojamento estudantil na cidade em mais 105 camas, num investimento de cerca de 9 milhões de euros, no âmbito do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR).

Em comunicado, a academia refere que a “adaptação da Residência das Alcaçarias e a reconversão do Antigo Clube dos Sargentos do Exército para alojamento estudantil são os projetos da UÉ no âmbito do PRR que visam a melhoria das condições para os estudantes”.

Governo financia com 15M€ nova residência estudantil em Beja

O Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) anunciou que irá construir uma nova residência estudantil, num financiamento de 15 milhões de euros, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

De acordo com o portal do Governo “Recuperar Portugal”, a obra será executada até 2026, e resulta de uma candidatura do IPBeja em parceria com a Câmara Municipal da cidade, tendo sido aprovada pelo Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES).

Beja investe 700 mil euros para expandir zona empresarial

A Câmara Municipal de Beja vai investir 700 mil euros na expansão da Zona de Acolhimento Empresarial Norte (ZAEN) para permitir a instalação de mais cinco empresas e a ligação ao parque industrial da cidade.

Em declarações à agência Lusa, Paulo Arsénio, presidente da autarquia, explicou que se trata da empreitada de execução da segunda fase da ZAEN, que prevê a realização das obras necessárias para a infraestruturação de cinco lotes já vendidos para instalação de cinco empresas.

Politécnico de Beja quer investir em residência com 500 camas

O Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) quer construir uma nova residência para estudantes com mais de 500 camas junto ao Campus Universitário, num terreno cedido pela Câmara Municipal, num investimento de 15 milhões de euros.

Citado pelo jornal Sul Informação, o IPBeja refere que depois de um diagnóstico feito, “concluiu-se da necessidade de construção de uma nova residência estudantil com 503 camas, distribuídas por quartos com diferentes tipologias e requisitos ao nível das acessibilidades, segurança e eficiência energética”.

Beja investe 15M€ em modernização de área empresarial

A Câmara Municipal de Beja vai modernizar a Zona de Acolhimento Empresarial Norte (ZAEN) para a tornar numa área de “nova geração”, num investimento estimado em 15,1 milhões de euros, “um dos mais expressivos de sempre” do município.

Em declarações à agência Lusa, Paulo Arsénio, presidente da autarquia, disse que “é um dos investimentos globais mais expressivos de sempre do município” e “quase oito vezes maior” do que o valor de cerca de dois milhões de euros que custou a obra de infraestruturação da ZAEN.

Rio Maior investe mais de 12M€ para requalificar área empresarial

A Câmara Municipal de Rio Maior anunciou a aprovação da candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a requalificação da Área de Acolhimento Empresarial, no valor de mais 12 700 000 euros, “o mais alto de sempre da história do município”.

Em comunicado, o município afirma, citado pela Lusa, que o investimento vai ser executado entre 2022 e 2026 e permitirá consolidar a Área de Acolhimento Empresarial (AAE), a Rio Maior New Generation Business, atualmente composta por perto de 400 lotes, 50 empresas e cerca de 1 847 postos de trabalho ativos.

Mais de 3 M€ para o Património Cultural Alentejano

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a área da Cultura conta com 150 milhões de euros destinados ao património cultural. Neste valor dedicado ao Património, estão incluídas intervenções em 46 museus, palácios, monumentos e três teatros.

No Alentejo, o distrito de Beja conta com dois monumentos intervencionados: o Museu Regional de Beja, com 2,6 M€; e o sítio Arqueológico de São Cucufate, na Vidigueira, com pouco mais de 200.000 euros.

No distrito de Évora, o Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, contará com 150.000 euros.