Está aqui

Águas de Portugal

Litoral Alentejano contesta estratégia do Governo para a gestão da rede pública de água

A reunião de ontem entre o Secretário de Estado do Ambiente Carlos Martins e os autarcas do litoral alentejano não correu conforme esperavam estes últimos. Em cima da mesa estava a pretensão da Comissão Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) em conseguir co-financiamento para obras em redes de saneamento e abastecimento de água em baixa, que foi rejeitada segundo os autarcas, porque o Governo terá outra estratégia para a gestão das redes e terá já lançado um aviso de concurso para sistemas agregados.

ALENTEJO E ALGARVE COM 800 MILHÕES PARA ÁGUA

O Grupo Águas de Portugal prepara-se para investir 800 milhões de euros nos sistemas de abastecimento de água no Alentejo e no Algarve nos próximos cinco anos.

Para o efeito está a negociar um financiamento junto do Banco Europeu de Investimento (BEI) dos quais metade (400 mihões) terão origem em fundos próprios, segundo informações avançadas pelo próprio grupo ao Jornal de Negócios.

ÁGUAS DE PORTUGAL DEFENDE AGREGAÇÃO DE MUNICÍPIOS

Afonso Lobato Faria, presidente da Águas de Portugal, defende hoje em entrevista ao Diário Económico que faltam 3 mil milhões para os investimentos necessários no sector das águas e que para convencer a banca a financiar esta operação (já que os fundos comunitários só disponibilizam 634 milhões de euros) é preciso que as autarquias se agreguem, como foi feito com o número de empresas que fornece a água aos municípios, que reduziu de 19 para 5 empresas.