Está aqui

Artigos publicados

UMA REALIDADE DESCONHECIDA

O sonho começa com quatro/cinco anos de curso, com ou sem Bolonha mas a visão de um futuro na barra do Tribunal dá-lhes toda a força necessária para a conclusão da etapa.

Seguem-se três anos de estágio, com emolumentos elevadíssimos, quotas e cpas a pagar e, muitas vezes, mal remunerados ou nem sequer remunerados.

A aprendizagem é sempre feita através mais experientes que têm paciência e vontade de ensinar e incentivar o bom desempenho no estágio. Outros nem essa sorte têm e, mais uma vez, têm que se desenvencilhar por si próprios.

PROPOSTAS PARA ÉVORA

No passado dia 24 de Fevereiro, a Concelhia da Juventude Socialista de Évora apresentou o seu manifesto autárquico, dando assim continuidade à iniciativa levada a cabo nas últimas eleições autárquicas.

O documento apresentado é composto por 59 propostas e um desafio não só ao próximo executivo camarário, mas também a todo o concelho.

O manifesto abrange doze áreas de intervenção com propostas que têm em conta as necessidades do Concelho e também a necessidade de estabelecer parcerias e protocolos, diminuindo assim os custos na concretização dos projectos apresentados.

AS QUINTAS DE CAVACO

Esta semana ocorreu o lançamento do livro do Ex-Presidente da República, Cavaco Silva, uma espécie de auto biografia que se resume às quintas em que reunia com o Primeiro-Ministro.

É realmente uma surpresa ver, finalmente, Cavaco Silva pronunciar-se sobre alguma coisa ainda que, nesta sua revelação sobre as reuniões semanais, tenha optado pela polémica e pela crítica desde Sócrates a Carlos César (estranhamente não é feita qualquer referência menos positiva aos anos de mandato de Passos Coelho).

DA INCONGRUÊNCIA

Esta semana, veio o deputado João Almeida solicitar a demissão do Ministro das Finanças por, alegadamente, ter omitido documentos à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos sem nunca, no entanto, identificar quais seriam os documentos em causa que justifiquem o pedido de demissão de um Ministro.

Desde cedo que João Almeida nos tem brindado com intervenções polémicas e desrespeito a deputados de outras bancadas da esquerda à direita.

30 ANOS SEM ZECA

Assinalam-se este mês 30 anos do falecimento de Zeca Afonso. 30 anos que perdemos uma das vozes da liberdade.

A voz de alguém que, contra tudo e todos, teve a coragem de erguer a voz e cantar contra a ditadura.

Zeca não foi apenas uma das vozes das senhas do 25 de Abril, foi a voz do 25 de Abril, juntamente com um grupo de cantores de intervenção que fizeram da cantiga uma arma.

RECONHECIMENTO TARDIO?

Esta semana saiu a notícia relativa à equiparação da remuneração dos atletas paralímpicos com a dos atletas de outras categorias.

Não querendo tirar relevância à notícia, é de facto lamentável que tenhamos tido de esperar tanto tempo que fosse concretizada.

Desde a primeira edição dos jogos paralímpicos que tal medida deveria ter sido implementada.

PASSOS PERDIDO

Em todo o seu percurso enquanto líder da oposição, Passos Coelho tem protagonizado diversos momentos no mínimo contraditórios, sendo que, no decorrer desta semana, conseguiu que todos nós presenciássemos o melhor e mais flagrante de todos.

Quando questionado relativamente à posição que o PSD irá tomar quanto à descida da Taxa Social Única para as empresas em complemento do aumento do Salário Mínimo Nacional, Passos Coelho, vem afirmar que não tem que servir de bengala ao Governo, num claro ataque de amnésia quanto às suas posições no passado quanto a esta mesma matéria.

7 DE JANEIRO DE 2017

"Quando chego a uma sala destas, cheia de gente jovem, numa situação em que o país está de cócoras, em que tudo foi destruído, em que não há nada (…) e em que tanta gente, por medo ou por qualquer outra razão, não é capaz de lutar, estar aqui e ver-vos a vocês todos aqui aos berros pela liberdade e pela democracia, para mim é o melhor que me poderiam ter feito"

Mário Soares, 06 de Dezembro de 2014

 

NO INÍCIO DE UM NOVO ANO

Findo o ano de 2016, cabe a já habitual retrospectiva.

2016 trouxe-nos a certeza que a esquerda, afinal, é capaz de se unir quando é preciso levar o País para a frente e mudar o rumo e a política desenvolvida até determinado ponto.

Trouxe-nos um Presidente da República que mostrou uma nova faceta que, em certos aspectos, poderá ser exagerada. Mostrou a faceta da proximidade e da participação junto da comunidade.

Mal ou bem, Marcelo Rebelo de Sousa já pautou pela diferença relativamente aos seus antecessores.

HOMENS (E MULHERES) DE NEGÓCIOS

Esta semana tive a oportunidade de rever o filme “The Company Men”, baseado na história de vários funcionários de uma grande empresa, que são forçados a reorganizar as suas vidas após uma “restruturação financeira” levada a cabo pela sua entidade patronal que os forçou a sair de um dia para o outro.

Habituados a vencimentos e prémios confortáveis, de um momento para o outro estes homens viram-se forçados a colocar as suas vidas na empresa em duas caixas e a partir para outra aventura, sem qualquer justificação plausível para o sucedido.

Páginas