24 Novembro 2016      10:44

Está aqui

ZORRINHO PRESSIONA CENTRAL NUCLEAR DE ALMARAZ

Espanha deveria ter aguardado antes de decidir novos investimentos em Almaraz

Está instalado um clima de desconfiança em relação à segurança da Central Nuclear de Almaraz em Espanha, e que gera preocupações deste lado, quando estamos a menos de 100km de distância. Nos últimos meses houve duas falhas nos motores das bombas do sistema de refrigeração o que provocou uma inspeção extraordinária à Central Nuclear. Essa inspeção, de acordo com o “El País”, conclui que não há garantias suficientes que o sistema esteja a funcionar com normalidade.

Um clima de desconfiança que já havia levado o eborense Carlos Zorrinho, eurodeputado, a questionar por escrito a Comissão Europeia sobre a segurança e a operacionalidade da central nuclear espanhola e se esta estaria "a cumprir em pleno" a diretiva 2014/87/Euratom, que estabelece a segurança das instalações nucleares. Zorrinho pediu também garantias de segurança associadas à decisão do Conselho de Segurança Nuclear de Espanha de autorizar a construção em Almaraz de um armazém para depositar resíduos de elevado teor radioativo. 

A resposta do Comissário Arias Cañete formulada ontem, a que o Tribuna Alentejo teve acesso, confirma que até 15 de Agosto de 2017, Espanha está sujeita a uma regulação diferente da que estará a partir dessa data, pelo que teria sido prudente aguardar a nova diretiva antes de autorizar um investimento que vai prolongar a vida útil de uma Central Nuclear onde já se verificaram indícios de quebras significativas de segurança. 

Situada a 100 km da fronteira portuguesa, e junto ao maior rio Ibérico, o rio Tejo, a Central Nuclear de Almaraz é propriedade da Iberdrola (53%), Endesa (36%) e da Gas Natural (11%), produzindo o equivalente a 75% de toda a produção de energia elétrica da Estremadura.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.