3 Agosto 2020      10:59

Está aqui

Tribunal de Torres Novas descobre tesouro artístico em pintura

O restauro de uma pintura do Palácio da Justiça de Torres Novas, da qual nada se sabia, veio revelar que se trata, afinal, de uma obra de arte importante, talvez a última de Manuel Lapa, destacado pintor da segunda geração de artistas modernistas.

De acordo com o Mirante, o Ministério da Justiça não tinha o registo da obra, que tem vindo a ser estudada por especialistas em história da arte e concluindo-se que é uma pintura importante. Nuno Proença, um dos elementos da equipa que recupera a obra de arte, revela que, se esta não foi a última obra do pintor, foi uma das últimas em que esteve envolvido.

Na pintura estão representadas as Cortes de Torres Novas de 1438 (juramento de D. Afonso V), tratando-se da segunda obra mais importante da Comarca de Santarém, que abrange todos os tribunais do distrito de Santarém. A obra mais valiosa é o fresco que representa as cortes de Almeirim na sala de audiências principal do palácio da justiça de Santarém.

A recuperação deste quadro insere-se numa estratégia da comarca na recuperação do património artístico dos tribunais. Neste sentido, o restauro do mural da sala de audiências do palácio da justiça de Tomar, do pintor Guilherme Camarinha, está em andamento, enquanto a recuperação da escultura exterior do Tribunal de Benavente, da autoria de Dorita de Castel’Branco, se encontra prevista.

Luís Miguel Caldas, juiz presidente da Comarca de Santarém, refere que a preocupação das comarcas não deve ser só os processos, pois os tribunais têm um património muito interessante, com acervos que se destacam no panorama das artes em Portugal, sendo um veículo também da sua promoção.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.