31 Janeiro 2019      09:42

Está aqui

Correção à notícia: Tensão laboral na Hutchinson em Portalegre

Os trabalhadores da Hutchinson Borrachas de Portalegre e não da Hutchinson de Campo Maior, como erradamente o Tribuna Alentejo noticiou esta manhã, têm pronto um caderno reivindicativo onde exigem aumento geral dos salários de todos os trabalhadores, passagem de trabalhadores com vínculos precários a desempenhar funções permanentes a efectivos, e um salário mínimo de 650 euros na empresa, entre outras exigências.

Segundo nota enviada a esta redação pela empresa, a "Hutchinson Borrachas de Portugal, Lda não tem qualquer “tensão” com a Comissão de Trabalhadores, os quais a Empresa considera serem essenciais ao seu bom desempenho e desenvolvimento". 

Ainda segundo a empresa "a Comissão de Trabalhadores e a Direcção da Empresa sempre pautaram as suas relações com cordialidade e diálogo, pelo que não existe qualquer caderno reivindicativo. A boa educação e respeito entre as hierarquias são características da Empresa". 

Contudo segundo o sindicato SITE Sul, da CGTP-IN, os trabalhadores em Portalegre estão "preocupados" em relação à saúde e segurança no trabalho e à "falta de respeito e educação com que os trabalhadores são por vezes tratados por superiores hierárquicos".

A Hutchinson está instalada no Alto Alentejo desde Junho de 1999, produz para a exportação destinada a países europeus (principalmente para a Alemanha e para a França) centenas de milhões de juntas tóricas.

Notícia corrigida às 19h04 de 31 de janeiro de 2019.

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão.

 

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.