29 Dezembro 2017      16:33

Está aqui

RISCO DE RUPTURA DA BARRAGEM DE ODIVELAS COM PLANO DE EMERGÊNCIA

Habituámo-nos a olhar para as barragens como super-estruturas que garantem o armazenamento da água, o lazer e a produção de energia mas esquecemos que apesar de serem resultado de engenharia avançada, o peso que têm de suportar durante décadas comporta riscos. Não temos memória de nenhuma catástrofe com barragens em Portugal mas estas são alvos de inspecções de rotina e de planos de emergência para o caso de ruptura, que análisam separadamente, entre outras consequências, as perdas de vidas humanas e as perdas económicas.

Segundo a Protecção Civil em Portugal existem atualmente cerca de 600 barragens que são abrangidas pelo Regulamento de Segurança de Barragens (Decreto-Lei nº 344/2007, de 15 de outubro). Destas cerca de 100 são consideradas de maior risco, sendo denominadas de Classe 1. Apesar de projectadas e edificadas com toda a segurança, existe sempre algum risco de ocorrer a rotura de uma barragem, quer por colapso da sua estrutura, quer por cedência das fundações e as consequências podem ser devastadoras.

Para o cálculo do índice relativo à perda potencial de vidas humanas (PPV) por exemplo, é estimado inicialmente o número de pessoas em perigo para cada um dos tipos de ocupação considerados: zonas residenciais, zonas construídas não residenciais, vias de comunicação e áreas recreativas.

Não é expectável um acidente, dado o controlo feito às barragens, mas isso não reduz a necessidade de ter planos de emergência para os riscos de ruptura, que possam funcionar como resposta eficaz caso se dêem acidentes graves ou catástrofes que decorram da ruptura das paredes de qualquer barragem.

Para compreendermos o alcance o plano de emergência externo para o risco de ruptura da barragem de Odivelas, em Ferreira do Alentejo, que está em consulta pública até ao início de fevereiro, prevê uma "máquina" de reacção que envolve as instituições públicas, estruturas de emergência e a Protecção Civil e é tão amplo que inclui as freguesias de Odivelas e Figueira de Cavaleiros, de Ferreira do Alentejo, distrito de Beja, as freguesias de Azinheira dos Barros e S. Mamede do Sátão, de Grândola, distrito de Setúbal e as freguesias do Torrão, União das freguesias de Alcácer do Sal e Santa Susana e Comporta, de Alcácer do Sal, distrito de Setúbal.

Imagem de capa de portugalfotografiaaerea.blogspot.pt

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.