21 Outubro 2018      08:51

Está aqui

Odemira com novo plano para os migrantes

A Câmara de Odemira anunciou na passada semana que conta com um novo plano para a integração de migrantes, que representam já cerca de 19% da população do concelho alentejano e continua a aumentar.

Os migrantes representam 68 nacionalidades, predominando os tailandeses, nepaleses, indianos e búlgaros e, de acordo com dados do SEF - Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, no distrito de Beja, em 2017, estavam registados 8.497 migrantes legalizados, com título de residência; 58 por cento deles trabalhavam e residiam no concelho de Odemira devido à existência de várias empresas agrícolas na região e que são as principais empregadoras.

De maneira a integrar os migrantes, logo em 2015 a autarquia de Odemira lançou um plano pioneiro no Alentejo e que junta entidades públicas, empresas, organizações não governamentais e representantes de migrantes de modo a que, em articulação, seja permitido dar uma resposta adequada às necessidades dos migrantes e que responda aos desequilíbrios que se existiam na região.

O foco desta segunda parte do plano da autarquia de Odemira – em prática até agosto de 2020 - está relacionado com a capacitação dos funcionários públicos no atendimento aos migrantes, no reforço das relações com a comunidade local e no reagrupamento familiar e conta com 13 áreas de intervenção e com 32 medidas dirigidas à população migrante e comunidade local, envolvendo 41 entidades.

O Plano Municipal para a Integração de Migrantes – que conta com o patrocínio do Alto Comissariado para as Migrações - é financiado pelo Fundo para o Asilo, Migração e Integração (FAMI).

 

Imagem de capa de observador.pt

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.