22 Setembro 2016      11:55

Está aqui

NÃO EXISTE SOLUÇÃO...

Se existe algo, que a vida nos vai ensinando, é que nem sempre os que caminham ao nosso lado são nossos amigos… nos últimos dias, e a propósito de uma intervenção da deputada Mortágua, assistimos uma vez mais a prova deste ensinamento.

Numa iniciativa do PS, secundada no palco pelo deputado João Galamba, a representante do BE desafiou o partido socialista a abandonar o modelo económico capitalista e evoluir para um modelo mais comunitário, chegando mesmo a afirmar que tínhamos que perder a vergonha de taxar a acumulação de riqueza, como se fosse essa a mãe de todos os males da nossa sociedade. Não contente com isto, a líder do bloco veio ainda dizer que compra de casas não era investimento (creio que foi isso que ela disse), dando a entender que se tratava de especulação.

Decorrente destas declarações, e face a sublevação de vários portugueses (alguns dos quais membros destacados do PS), a Mariana ainda tentou emendar a mão, tentou aproveitar e dizer que não se estava a aumentar a carga fiscal ao cidadão comum, mas sim aos Espirito Santo e amigo… e que esses eram o inimigo.

Quem me conhece sabe que me considero Social-Democrata, e que tenho como referencias Olof Palme e o Willy Brandt. E a propósito do episódio acima, acabei por me recordar de uma suposta conversa entre Olof Palme e Otelo Saraiva de Carvalho (durante o PREC) … Segundo se diz, foi perguntado ao Otelo o que se pretendia com o processo em curso, e a resposta foi “acabar com os Ricos”… Palme achou piada, porque o seu objetivo era diferente… ele queria acabar com os Pobres.

Para os desafios que se colocam a Portugal, não existe solução, temos que prosperar, e isso não se consegue nivelando por baixo, ou acabando com a possibilidade de acumular riqueza… não será possível, num mundo globalizado, acreditar que os detentores de capital (produtivo) vão investir num pais onde se sabe, a priori, que para alguns responsáveis políticos, são eles os culpados pelo estado da economia… Não será possível acreditar que um modelo centralizado no estado se possa criar condições para a redistribuição da riqueza.

No fundo, não existe solução, até porque se o capitalismo não é perfeito, não se conhece outro sistema económico que apresente melhores resultados…

 

Imagem de capa da www.bloomberg.com

1 Comment

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.
Luís victorio (não verificado)    2 anos 11 meses
Comentário: 
"Creio que foi isso que ela disse" ou ainda "segundo se diz". São frases usadas pelo Sr Sérgio Gonçalves Eu peguei e transcrevi a intervenção da Mariana Mortagua, o resto é pura especulação. A acumulação de riqueza não é realmente a mãe de todos os males, quando ela é aplicada no país de origem e no desenvolvimento desse mesmo país, para criar realmente mais riqueza. Mas na maioria dos casos vemos essas riquezas feitas em Portugal, serem levadas para fora sem qualquer contra partida para o nosso país. O projecto social democrata está falido a nível nacional e internacional, no nosso caso é só ver o que fizeram na vigência de Cavaco Silva, Durão Barroso e Passos Coelho e onde colocaram o País. Dados europeus colocam-nós no pior nas grandes clivagens sociais entre ricos e pobres. Queremos reduzir as desigualdades, uma melhor distribuição da riqueza. No estrangeiro os nossos trabalhadores são apreciados por serem competentes e estremamente produtivos, em Portugal não tanto. Porque será? Talvez tenha a ver com os gestores deste País. Acredito nas gentes do meu País e teremos força para dar a volta por cima. Acabemos com os actuais Migueis de Vasconcelos.