14 Junho 2016      12:56

Está aqui

MUDAR O ALENTEJO PELA EXCELÊNCIA

Entre as 10 ideias finalistas do “Start & Go Alentejo”, uma iniciativa da Alentejo de Excelência para encontrar ideias de combate ao despovoamento alentejano, há quem proponha “pegar no Alentejo como um produto e vendê-lo ao estrangeiro, para atrair investimento direto”, como a Vanessa Durão, com o projeto “Jump In”. Ou ainda, quem proponha a criação de um “Centro de Inovação e Criatividade do Litoral Alentejano”, que estimule “artistas, cientistas e empreendedores – como construtores privilegiados do imaginário”.

As ideias são muitas e no dia 16 de junho, pelas 14h, no auditório do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, os Finalistas têm 3 minutos para convencerem o Júri do Concurso que têm a melhor proposta e ganharem um prémio de 2500 euros

Neste dia de network (trabalho em rede), haverá ainda tempo para um debate com Filipe Portela (Seedrs e Impact Hub Lisboa), Teresa Preta (Ericeira Business Factory e Territórios Criativos) e também Hugo Cortes (Monte da Glória Vinhos), e ao final do dia a cantora alentejana Raquel Guerra apresentará ainda o seu álbum “Desencontros”.

Mas é de encontros e ligações que os concorrentes querem transformar o Alentejo, como a ideia de Catarina Carvalho, com o projeto “Sementeira”, que pretende envolver a “comunidade escolar com o resto da comunidade, estimulando o trabalho em grupo e conjunto”, proporcionando “a criação de memórias ligadas ao seu território”. Ou a ideia de Patrícia Carvalho, que propõe a criação do Grupo Tutores +”, que englobe pessoas ligadas ao empreendedorismo, gestão e marketing, para “ajudar pessoas concretas a escreverem os seus projetos”. E ainda a multiplataforma “Adelaide”, da Alice Teixeira, “que permite a pequenos produtores ligar-se diretamente a consumidores urbanos, agregar produção para a restauração e comércio”, ou “diversificar a sua atividade oferecendo experiências em espaço rural”.

Se há coisas que o Alentejo pode oferecer, são experiências, como propõe também Pedro Oliveira, com o projeto “Taste Tours Alentejo”, com o intuito de “fomentar o gosto pelas vivências quotidianas no Alentejo”, a sua “cultura, beleza, pessoas e ofícios, paisagens e sabores”. Ou como a “Eco Vila – Comunidade Produtiva Auto-Suficiente”, de Rui Pessoa, que passa pela criação de uma “Eco-Vila pioneira e exemplar para o país, e para o mundo”, incrementando a consciência nacional para o “Desenvolvimento Sustentável”.

Seja qual for o vencedor, todos eles confluem na necessidade de fazer valer a excelência e mais valias do Alentejo, como a criação “de peças de vestuário confecionadas a partir de manta alentejana, tecida em tear manual do Alentejo-Portugal”, de Tânia Costa Neves, com a ideia “LOOM New Tradition”. Bem como a necessidade de “capacitar em termos de autoconfiança, autoestima, equilíbrio dever/prazer” dos jovens, como propõe o “Capacitando-te”, de Sara Janota. Sem esquecer a reutilização do know-how de cozedura de cerâmica”, por exemplo, “enriquecê-los com atividade pecuária, obtendo o melhor sumidouro de carbono, corretivo orgânico de solo e fertilizante”, como propõe o “Do Desperdício ao Rendimento”, de Filipe Carvalho.

O Júri é composto pelo Diretor Executivo da Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL), Rui Barroso, o Diretor de Departamento da Entidade regional de Turismo do Alentejo (ERTA), José Santos, o Presidente do Núcleo Empresarial de Beja (NERBE), Filipe Pombeiro, o Coordenador do Projeto Novos Povoadores, Frederico Lucas, e pela Diretora de Sustentabilidade Empresarial do Grupo Águas de Portugal (AdP), Fátima Borges. A entrada é gratuita, mas limitada ao número de lugares disponíveis. Pelo que pode reservar o seu lugar aqui.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.