7 Agosto 2019      17:22

Está aqui

Évora quer salvaguardar Cromeleque dos Almendres

É considerado um dos monumentos mais relevantes do megalitismo europeu, mas as condições em que se encontra e os acessos não são condizentes com esta relevância.

Composto por diversas estruturas megalíticas -cromeleque, menir e pedras – foi descoberto pelo investigador Henrique Leonor Pina, em 1964, aquando do levantamento da Carta Geológica de Portugal; este cromeleque situa-se a cerca de 12 quilómetros de Évora, num terreno privado na Herdade dos Almendres, e com acesso livre.

Após um acordo com os proprietários do terreno, a Câmara de Évora quer agora fazer um plano de salvaguarda do Cromeleque, definindo “medidas e intervenções que devem ser tomadas para garantir a preservação e o acesso", não avançado, para já com nenhuma proposta concreta.

O Cromeleque dos Almendres está classificado como Monumento Nacional e conta, desde junho, com um centro interpretativo, situado na aldeia de Guadalupe, perto do monumento, e que surgiu de uma parceria do município com a empresa Ebora Megalithica.

 

Imagem de .wikimedia.org

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.