3 Agosto 2020      11:18

Está aqui

Cimpor fornece cimento para a construção da linha entre Évora e Elvas

A Cimpor vai fornecer 135 mil toneladas de cimento para a execução de uma obra de 80 quilómetros que ligará Évora à Linha de Leste, junto a Elvas, num investimento de 500 milhões que deverá estar concluído no início de 2023. Esta será a maior extensão de caminho-de-ferro construída desde há mais de um século em Portugal.

De acordo com o Dinheiro Vivo, este cimento será utilizado na construção da plataforma ferroviária e de estações técnicas em passagens inferiores e superiores e em várias outras obras, como pontes e viadutos ferroviários.

O grupo Cimpor é detido pelos turcos Oyak e conquistou os três empreiteiros que ganharam os concursos públicos internacionais para a construção dos troços ferroviários inseridos no Corredor Internacional Sul. Luís Fernandes, CEO da Cimpor Portugal e Cabo Verde, divulga que os clientes são a Construtora São José, a Mota-Engil e a Sacyr-Somague. De acordo com o gestor, “toda esta importante obra ferroviária, estruturante para o país e para o futuro da economia nacional, terá cimento português da Cimpor”.

A primeira fase desta empreitada arrancou em 2019, e prevê-se que o seu impacto no volume de negócios da Cimpor será sentido já neste exercício e nos dois posteriores. No entanto, Luís Fernandes não revela qual será o peso na faturação: “vai depender da evolução do consumo no mercado interno em geral e este, nesta altura, vai depender da continuidade ou não do investimento, essencialmente privado, que se vinha a verificar”.

Em Portugal, a Cimpor tem três fábricas de cimento (Souselas, Alhandra e Loulé) e moagens de cimento em Sines e nos Açores. Nas atividades de betão pronto e agregados, tem várias centrais e pedreiras distribuídas por todo o país.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.