5 Junho 2020      12:37

Está aqui

Bloco Central na presidência

À falta de tema para acelerar a política durante o Covid, António Costa, numa fábrica de automóveis não portuguesa, lança a candidatura e declara o professor Marcelo como vencedor. De recordar que até à bem pouco tempo vivíamos uma solução engenhosa chamada Geringonça, onde fundamentamente por pressão dos únicos partidos de esquerda, BE e PCP, alguns rendimentos foram devolvidos.No entanto, quando surgiam as reformas estruturantes para o país (áreas que verdadeiramente podem transformar um país) o recuar do PS era evidente, apoiando-se no histórico PSD. Será que o virar de costas dos portugueses, e principalmente do jovens, à política portuguesa, não se deverá mesmo a esta promiscuidade entre estes dois partidos e os lóbis?

Isto tudo para dizer que, Geringonça, foi quando interessou.

O PS anunciou um candidato à Presidência da República, não em sintonia com a Geringonça, mas em sintonia com a vitória. PSD irá pelo mesmo caminho.

Marcelo Rebelo de Sousa é o ex Presidente dos afetos, o Covid trouxe o cotovelo. Marcelo é a unidade que o país precisou e precisa. Mas Marcelo também é propaganda e mediatismo pessoal. Na quezília entre Costa e Centeno, apoia Costa e com isto garante a fatia de votos socialistas que Costa tinha para oferecer.

Com isto, PS e PSD aprofundam um Bloco Central e catapultam André Ventura como sendo um candidato fora do sistema, como alguém que vê a política como nós cidadãos normais, e que não tem interesses, esquecendo-se que até à bem pouco tempo pertencia... ao sistema, pela porta do PSD, era comentador desportivo na galardoada CMTV ( de salientar que foi dispensado por alegadamente pisar algumas linhas vermelhas, vermelhas não que é demasiado Comunista, encarnadas) e que aproveita a temática populista e xenófoba Europeia e Mundial como sua bandeira política

 Aí apareceu Ana Gomes, militante do PS, mas sem os tiques de compadrio socialista. Ana Gomes percebeu que o PS não é capaz de pensar na democracia e apoiar alguém que perca, mas que seja a alternativa precisa para quem não se reveja em Marcelo, mas que, naturalmente não queira votar André Ventura. Ana Gomes aparece como figura mediática por defender o hacker português Rui Pinto, e por ser oposição a temas quentes da justiça portuguesa, caso BES, Sócrates, Isabel dos Santos, entre outros.

À esquerda do PS, também não existe Gerigonça, Bloco e PC não se dão. Mas dariam uma verdadeira chapada de luva branca, se ambos apoiassem Ana Gomes, como a verdadeira solução de esquerda à presidência da república, mas não, ao invés irão apresentar os seus tradicionais candidatos, destinados à dispersão de votos.

 

A semana à lupa

George Floyd

A semana presenciou mais uma vitima afro-americana às mãos de um policia branco. “Um país dois sistemas” é o sistema chinês, entre a China continental e Hong Kong, mas o mesmo se podia dizer nos EUA, dois sistemas de tratamento diferente, brancos e negros.

Tudo isto é hiperbolizado pelo homem que está na Presidência, Donald Trump, nada mais que um empresário, que modela o país submetendo interesses sociais aos económicos. Não se sabe o que é um estado social, não se sabe o que é salário mínimo, não se sabe o que é subsidio de desemprego. Os jovens apenas sabem que tirar um curso superior implicará um empréstimo que lhes caducará muito do seu rendimento futuro.

Um país habituado a grupos supremacistas brancos, encontra em alguns polícias (nunca generalizando) o bastião de um racismo visceral. George Floyd foi mais uma vítima à mão de um polícia, que depois de o imobilizar e neutralizar por completo, não tendo qualquer reação por parte da vitima, o sufocou até à morte depois de uns longos 8 minutos. As manifestações geraram uma onda de violência num país que não sabe o que é estabilidade.

 

O Covid afinal não é democrático

Afinal o Covid19 não é tão democrático quanto parecia. Tardou, mas demonstrou que está mais à vontade numa cintura social de pobreza e discriminação. Atualmente vivemos uma situação de propagação elevada na periferia Lisboeta, com os concelhos mais pobres a registarem mais de 90% dos novos casos de Covid em Portugal. Tudo terá começado na grande plataforma logística da Azambuja, com o PCP a ter alertado para a grande ausência de cuidados de transporte de centenas de trabalhadores. Aliado ao grande número de trabalhadores temporários, que sem tempo ou dinheiro para quarentenas ainda são empurrados por longos minutos de transporte público apinhado para as suas residências.

Exemplos como o Bairro da Jamaica, têm de ser o primeiro destino do alocar dos milhões de Euros que virão da União Europeia, e não o tapar de buracos ao grande capital privado. Num tom de provocação, fica a questão no ar, se, ao invés do surto ser nos arrabaldes da capital, fosse numa cidade nortenha ou do interior do país, não teríamos já aos moldes de Ovar, um novo cerco sanitário, com o prometido passo atrás?

 

Fundos da UE

Apesar de nada estar garantido, Portugal poderá mesmo ter uma bazuca de dinheiro. A explicação é uma, Itália, 4º principal economia da Zona Euro é um dos países afetados.

Será a hora perfeita de políticos voltarem a reestabelecer a confiança dos Portugueses e investirem o dinheiro em Portugal. Não é apenas pensarmos em captar indústria estrangeira e posteriormente recearmos tributar esse capital com receio de deslocalização, é apostar em Indústria Portuguesa, para não estarmos dependentes da volatilidade do turismo. É pagarmos os respeitosos salários industriais Alemães e termos indústria pujante capaz de empurrar o PIB português.

Não cairmos na ideologia barata das obras públicas, mas resolvermos o imbróglio do novo aeroporto, e reinventarmos a ferrovia nacional.

 

Despedida semanal

Tivemos uma semana quente, temos ainda uma semana de casas quentes. Aproveitemos, agora uma semana com 2 feriados, rumem ao interior, ou ao Alentejo, como eu vou fazer. Uma boa semana para todos!

------------------------------------

Alexandre Carvalho tem 24 anos e é natural do Porto. Licenciado em Comunicação Empresarial pelo ISCAP, ligado ao ramo do design de interiores e da vertente digital. Interessado pelo panorama da política nacional conta vir viver para o Alentejo, porque se enamorou por uma alentejana

alexandremiguel.c95@outlook.com 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.