Está aqui

Tradição

Barranquenho vai ter Centro de Interpretação

O “barranquenho” terá agora mais garantias de ser preservado com a criação do Centro de Interpretação.

Iniciativa da autarquia, o centro vai nascer num edifício “senhorial” a par da Biblioteca Municipal e há já uma equipa de especialistas - que inclui a Universidade de Évora e de uma Universidade de Madrid - a trabalhar para a criação  deste museu.

O barranquenho resulta do contacto entre o português meridional, ou alentejano com as variedades meridionais andaluzas e estremenhas, em Espanha.

Festa do Arroz em Ponte de Sor, mas em formato online

Vai realizar-se a 8ª edição da “Festa do Arroz”, em Ponte de Sor.

Este ano, certame acontece em moldes diferentes, em formato online através da página de Facebook da Câmara Municipal de Ponte de Sor.

Cante, camponeses, resistência, rio... Serpa cria espaços culturais pelo concelho

A Câmara de Serpa desenvolveu uma estratégia que aposta na expansão da rede museológica do concelho através da criação de novos espaços culturais por todas as freguesias do concelho.

Em Brinches vai nascer a “Casa do Rio”, dedicada ao Guadiana e ao seu património natural e histórico, sendo também um meio de promoção de novas atratividades turísticas, dos produtos locais e da sua vertente gastronómica.

Os segredos da doçaria de Viana do Alentejo revelados na net

O Município de Viana do Alentejo decidiu promover a sua doçaria tradicional e, com a participação de doceiras do concelho, preparou uma Páscoa diferente, com um conjunto de programas sobre doçaria tradicional.

Vai desmistificar-se a ideia de que não se é capaz de confecionar doces mais elaborados em casa, em quatro programas que serão disponilibizados nas redes sociais, de 1 a 4 de abril, no período da Páscoa.

Inveja

Invejo o pastor que faz do monte a sua casa.

Afortunada vida que parece ter,

— a dele ou a minha?

Quem vê de longe deseja ser

O que de perto se ignora

Passa o tempo

Nasce o arrependimento

De não ir enquanto é hora.

O pastor cuida do gado

Como eu cuido dos números

Pelo sol ele é castigado

E eu, nem por qualquer astro sou amedrontado!

Caminhamos unidos pela inveja de um sonho

convictos de que sonhar nos faz ser

quem somos.

 

Imagem de arquivomunicipal. cm-lisboa .pt

 

Moinhos de vento regressam a Évora

Cervantes, pela voz de Sancho Pança, dizia “aqueles que ali aparecem não são gigantes, e sim moinhos de vento, e o que neles parecem braços são as asas, que, empurradas pelo vento, fazem rodar a pedra do moinho” tentando elucidar D. Quixote.

Estes “desaforados gigantes” eram não só uma marca dos campos de Castilla La Mancha, mas também uma marca pródiga das paisagens dos campos alentejanos.

Os moinho de evento eram parte essencial da cultura e economia alentejana. Com a mecanização, caíram em desuso e muitos acabaram por ruir.

Marvão 2021 terá “Comidas d’Azeite” versão online

 Os apreciadores da boa gastronomia já esperam, todos os anos a Quinzena Gastronómica nos restaurantes de Marvão.

Este ano, devido ao estado de confinamento provocado pela pandemia, as reconhecidas “Comidas d’Azeite” decorrerá em versão on-line, nas redes sociais da autarquia, de 12 a 28 de fevereiro.

A base serão os vídeos e as entrevistas e o objetivo passa por  divulgar e destacar a importância do olival e do azeite na economia da região, dando a conhecer os produtos e pratos que têm o azeite como base ou elemento de destaque, desta vez, sem poder provar.

 

Olaria tradicional de Nisa em risco

É conhecida e reconhecida a tipicidade e originalidade da olaria da vila alentejana de Nisa, marcada pelos desenhos realizados pelas pequenas pedrinhas brancas de quartzo encrustadas que as ornamentam.

E se a arte da olaria pedrada de Nisa terminasse? É para este risco que alerta o programa “Vou Ali e Já Venho” da Antena 1 e onde é expresso que existem cada vez menos oleiros em Nisa.

Arraiolos: como a pandemia ajudou a nascer o Sr. Almofada

Foi com o lay-off resultante da crise económica provocada pela pandemia de Covid-19 que Nuno Dias acabou por criar um projeto inesperado.

Iria iniciar um novo trabalho como chefe de receção numa nova unidade hoteleira de 5 estrelas em Lisboa, mas entrou em lay-off e decidiu passar esta ase da vida em Arraiolos, na casa dos seus pais.

Com 43 anos, Licenciado em Turismo pela Universidade de Évora e Pós-Graduado em direção Hoteleira pela Universidade Lusófona – nasceu em Cascais, mas viveu quase toda a vida em Évora.

Cante das Janeiras aos Reis e ao Menino - Ourique mantém a tradição

Em Ourique, a tradição do "Cante das Janeiras aos Reis e ao Menino" é para manter e, de 4 a 9 de janeiro, com a atuações de José Diogo Bento, Pedro Mestre, Gonçalo Narciso e Telmo Narciso, o Cante chegará a todo o concelho.

Páginas