Está aqui

Sociedade

Aos pulos e aos saltos

Tinha a inocência de uma criança, embora tivesse os seus oitenta anos. Esta é a narração da vida do homem que pulava e saltava mais do que qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo.

A encomenda

Sentado à porteira da casa, olhar fixado no fundo da rua, esperava algo. E esse algo era uma encomenda. Tinha encomendado uma encomenda e esperava ansiosamente pela sua chegada como uma criança espera pelas prendas de Natal.

Repetem-se as falhas graves nos serviços públicos e no apoio às IPSS no distrito de Évora

1 – Falhas Graves no Hospital do Espírito Santo de Évora

 De acordo com auditorias realizadas pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) foram encontradas falhas em três centros hospitalares e um hospital, em 2018. 

“Agora, o povo unido jamais será vencido!” - Será?

Após terminar com 48 anos de ditadura, a mais longa ditadura europeia, há 45 anos Portugal criava condições para ser uma “terra da fraternidade” onde o povo seria quem mais ordenava.

Gritava-se que “o povo unido jamais será vencido” e tinha-se ganho o direito próprio a fazê-lo, a ser livre de dizê-lo!

Milagres e questões essenciais

O milagre que afinal não o é assim tanto

Uma canção dos Pink Floyd perfeita sem a participação na composição de Syd Barrett? A resposta lógica à questão anterior terá sempre de ser: Não! Nem pensar!

Cá ou lá?

Marisela Archeira tinha cara de poucos amigos e um feitio como havia poucos. A senhora destacava-se na comunidade onde residia por ser a mais rígida das mulheres. Daí teria surgido a sua alcunha Archeira, isto porque atirava e acertava a direito!

Marisela Archeira tinha nascido de uma família de nome, rica e com propriedades. Mas Archeira não era do tipo emproado que ficava usando vestidos de fole e não se preocupava com o bem estar dos seus bens. E bens tinha em género, espécie e numerário.

Marisela Archeira tinha vacas, cabras e ovelhas. Tinha galinhas, coelhos e fracas.

Notre-Dame a cinza

Ao longo dos séculos, muitos foram os ícones históricos que foram sendo destruídos pelas mais variadas razões, desde a biblioteca de Alexandria ao Colosso de Rodes – há séculos atrás – aos Budas de Bamyan, as cidades antigas de Palmira, Hatra ou de Nínive destruídas recentemente pelos terroristas talibans.

Em 1666, um gigantesco incêndio consumiu Londres durante quatro dias e 80% da cidade medieval inglesa desapareceu e a também mítica Catedral de São Paulo teve que ser reconstruída.

Beijo, beso, bacci, kiss…

Para o escritor De Musset, o beijo era a única linguagem verdadeira no mundo.

Não estaria longe da verdade. Um beijo transporta sentimento; sente-se o que vai dentro de quem beija, a verdade - ou não - desses sentimentos. Um beijo acaba com discussões, impõe-se no meio do silêncio. Tem poder. Tanto que, na história infantil “A bela Adormecida”, tem o poder de acordar de um sono profundo e romper um feitiço.

Hoje, é dia do Beijo.

Outros tempos

Pirilimpimpau era um sítio no imaginário das pessoas que lá viviam, seja lá o que isso significa. Os habitantes de Pirilimpimpau eram os Pirilimpompeiros e tinham a particularidade de viver num lugar em que só se podia entrar e sair uma vez por ano, exatamente no mesmo dia, 13 de abril, que por acaso até é hoje.

Não se esqueça: hoje muda a hora!

Hoje, o último fim de semana de março, a hora muda para o horário de verão, pelo que, quando os relógios marcarem 01:00 deve adiantá-los uma hora, passando a marcar para as 02:00 horas.

Deva acertar os seus relógios: o de pulso, o da cozinha etc. e não se esqueça que no carro também tem.

Este acerto de horas está mesmo convencionado pela União Europeia que esteve prestes a definir um mesmo fuso horário para todos os países no ano passado.

O objetivo era só um e vem desde o século XVIII, quando Benjamin Franklin, nos Estados Unidos da América, queria poupar velas.

Páginas