Está aqui

Pintura

5 obras de arte contemporâneas do Novo Banco encontram “casa” no Crato

O Museu Municipal foi a casa escolhida para ter patente uma mostra de arte contemporânea - cedida pelo Novo Banco – e que conta com obras dos conceituados artistas portugueses contemporâneos Manuel D’Assumpção, Vieira da Silva, Júlio Resende, Menez e Malangatanga.

Desde ontem, sexta, que o Museu Municipal do Crato conta com estas cinco obras da coleção de pintura do Novo Banco, cedidas para exposição permanente.

Uma “sopa de artistas” em Odemira

Em Odemira, há uma sopa diferente, com tintas, criatividade, imaginação e arte. A iniciativa é da Associação Local de Artistas Plásticos, a Sopa de Artistas que, em colaboração com o município de Odemira, vai comemorar o 25 de Abril com uma Exposição Coletiva de Artes Plásticas, patente de 13 a 30 de abril, na Igreja da Misericórdia.

Era alentejano, foi um dos maiores e agora é um prémio

Era alentejano, foi um dos maiores da pintura portuguesa da segunda metade do século XIX e agora é um prémio de pintura.

Trata-se de Henrique Pousão, mestre impressionista nascido em Vila Viçosa em 1859.

Apesar de só ter vivido 25 anos – faleceu em 1884 – foi um dos mais ilustres antigos alunos da Universidade do Porto. Era formado em Desenho Histórico, Arquitetura Civil, Escultura e Pintura Histórica na Academia Portuense de Belas-Artes, antecessora direta da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto.

Exposição homenageia Vespeira em Aljustrel

Já está patente no Espaço Oficinas de Formação e Animação Cultural, em Aljustrel, a exposição de pintura "Revisitar Vespeira: 1925-2002", dedicada ao pintor surrealista português Marcelino Vespeira.

A obra desta figura incontornável da pintura portuguesa do século XX estará patente até 2 de fevereiro.

Marcelino Macedo Vespeira, nasceu a 9 de setembro de 1925 no Samouco e faleceu em 2002 depois de ter atravessado vários movimentos artísticos como o neorrealismo, o abstracionismo geométrico e lírico e o surrealismo.

Bienal de artes com 330 obras expostas na Vidigueira

São 220 artistas portugueses e estrangeiros que, até ao dia 11 de novembro e em vários espaços da vila, expõem 330 obras de pintura e escultura na 11.ª edição da Bienal Salão das Artes de Vidigueira.

Com artistas maioritariamente portugueses, mas que conta com 10 estrangeiros de Espanha, Brasil e Argentina, serão o museu e o mercado municipais, os salões da junta de freguesia e do Centro Multifacetado de Novas Tecnologias e o Casão A. S. Matos Rosa os locais em poderá admirar os trabalhos.

"Reguengos de Monsaraz: Alentejo Puro"

"Reguengos de Monsaraz: Alentejo Puro" é o nome que a pintora Ana Rita Janeiro deu ao conjunto de obras suas e que estão patentes na Bienal Cultural Monsaraz Museu Aberto.

A exposição é composta por um conjunto de telas em óleo que abordam o riquíssimo património material e imaterial de Reguengos de Monsaraz, terra que representa, aos olhos da artista, todas as riquezas que dão uma fama mundial tão merecida ao Alentejo. Está patente até 29 julho, na Casa Monsaraz.

Alandroal e Alentejo nas pinturas de Biberstein

Estará patente na Culturgest – até 9 de setembro - aquela que é considerada a maior retrospetiva de sempre de Michael Biberstein.

O pintor suíço-americano Biberstein, viveu mais de três décadas em Portugal, no Alandroal, onde faleceu em 2013.

Nascido em Solothurn, na Suíça, a sua pintura caracteriza-se por quadros de grande formato, pelo abstracionismo, pelas paisagens e pelas cores neutras com predominância de pretos e cinzentos.

"Imagin'Art" em Castro Verde

Foi inaugurada na passada sexta, dia 27, no Fórum Municipal de Castro Verde a exposição "Imagin'art", com trabalhos da autoria de utentes do Centro de Paralisia Cerebral de Beja.

Com o objetivo de facilitar a integração social e promover a valorização pessoal destes jovens, e o desenvolvimento das suas competências, esta exposição reúne um conjunto de trabalhos de pintura, da autoria de sete alunos do Centro de Atividades Ocupacionais do CPCB, e estará patente até 25 de maio.

 

Imagem de vozdaplanicie.pt

 

Claude Monet

A luminosidade antecipa, dobra e explode, e deixamos de poder ver. É nesta aparente contradição que os impressionistas encontraram o seu caminho. Não era um logro, antes uma hipótese – na verdade, a única. Querer ver no excesso de luz um máximo de nitidez é apenas o senso comum para lá do senso comum a funcionar: quando nos atiram um jorro de luz directamente para os olhos passamos a ver melhor? Claro que não, é o oposto. Mas é mesmo assim ou é antes...o verbo correcto utilizado de forma errada? Digamos que sim.

ALJUSTREL “PARA ALÉM DA REALIDADE”

Chama-se “Para Além da Realidade, 1990 a 2017- 27 anos de Pintura” - de Álvaro Assunção - a exposição que patente nas Oficinas de Formação e Animação Cultural de Aljustrel.

Patente até ao dia 10 de fevereiro, há a possibilidade de visitas guiadas mediante marcação prévia, nesta que é uma iniciativa que conta com a colaboração do MAC- Movimento de Arte Contemporânea que considera o pintor Álvaro Assunção como sendo de reconhecido mérito e cuja pintura expressa a sua personalidade, espontaneidade e virtuosismo estando cheia de paixão e energia.

 

Páginas