Está aqui

Natureza

Abutre-preto de volta aos céus alentejanos

O abutre-preto está de volta aos céus alentejanos e, este ano, já nasceram 3 novas crias.

Esta espécie de abutre é a mais ameaçada de Portugal e a notícia de que a espécie está a consolidar o seu restabelecimento no Alentejo surge quando hoje se celebra o Dia Internacional do Abutre.

O Abutre-preto (Aegypius monachus) é uma de rapina necrófaga e de grandes dimensões e era comum na Península Ibérica, nos países balcânicos, Turquia, Médio Oriente, Sibéria, China, entre outros e sofreu um forte declínio do seu número, na Europa, por volta dos anos 70.

O passadiço da Serra D’Ossa já ganha forma

Foi anunciado em 2019, mas foi um projeto adiado para este ano.

Num investimento de cerca de 300 mil euros, o passadiço da Serra D’Ossa já ganha forma.

Serão cerca de 400 metros de vão ligar a Aldeia da Serra à ermida de Nossa Senhora do Monte da Virgem.

As obras decorrem a bom ritmo e prevê-se que em outubro os visitantes já possam ver de perto a fauna e flora singulares desta região.

Ainda a tempestade de Évora: foram batidos todos os recordes de chuva por hora

Desde que Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Évora (UÉ) mede a precipitação, nunca haviam sido registados valores próximos dos registados com a tormenta que se abateu em Évora, no final da tarde de terça-feira.

Castro Verde: 3 anos como Reserva da Biosfera da UNESCO

Faz amanhã 3 anos que Castro Verde recebeu a classificação de Reserva da Biosfera da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e a autarquia quer assinalar o dia com algumas atividades.

Do programa fazem parte o lançamento de um mapa turístico, de um puzzle 3D de uma abetarda e uma maior aposta no turismo de bicicleta, sendo que duas destas atividades têm também como objetivo prestar melhor informação turística do concelho aos visitantes.

São Mamede: começou o combate às espécies invasoras

A Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo começou os trabalhos de controlo de espécies exóticas invasoras.

Alargado o prazo para limpeza de terrenos

Estava previsto terminar a 30 de abril, mas o prazo foi alargado e os proprietários têm agora até ao dia 31 de maio para fazer a limpeza dos seus terrenos, no âmbito das medidas de prevenção de incêndios rurais previstas legalmente.

Esta prorrogação do prazo foi determinada com base nas consequências provocadas pela pandemia da doença COVID-19.

1 Milhão de euros garante Estação Náutica no Alqueva e nova praia fluvial

É com um investimento total de 1.034.021,25 euros, comparticipado a 85% por fundos comunitários do FEDER através do Alentejo 2020 que vai nascer a Estação Náutica de Moura – Alqueva.

O investimento pretende a valorização da área recreativa e de lazer do núcleo da Barragem de Alqueva, criando condições para instalação de equipamentos de acesso ao plano de água, nomeadamente uma praia fluvial, piscina flutuante com zona de estar periférica, acessos ao plano de água e qualificação do espaço exterior como zona de lazer.

Cigarra em extinção já só existe no Alentejo

De todas as cigarras, esta é a mais ameaçada em Portugal e só existe em três locais do Alentejo.

Com o nome Euryphara contentei - o primeiro espécimen registado foi encontrado em Ferreira do Alentejo, em 1978.

Em Portugal, existem 13 espécies diferentes de cigarra e esta – conhecida também por cigarrinha ou cigarrinha-verde – é que corre mais perigo de desaparecer, existe somente em zonas do Alentejo: Estremoz e Sousel, em Beringel, e no concelho de Ferreira do Alentejo. as: "Esta cigarra tem distribuição ibérica, mas está à beira da extinção em Portugal."

A vespa asiática está no Alentejo

Surgiram, nas redes sociais, relatos e evidências de que a vespa asiática – ou velutina - já chegou ao concelho de Mora, no Alentejo.

A Velutina tem 5 x mais veneno do que uma vespa normal e propaga-se com muita facilidade, devendo, em caso de avistamento avisar as autoridades.

Nasceu uma girafa em pleno Alentejo

O Alentejo ganhou mais uma habitante “invulgar” nestas paragens, uma girafa.

A girafa, da espécie Rothschild, nasceu no Badoca Park, em Santiago do Cacém, no início do mês e foi o acontecimento foi divulgado, esta semana, na rede social Instagram.

A cria – a segunda a nascer no parque – nasceu já com 1,60 metros de altura, após 15 meses de gestação, e será alvo de atenção especial durante os primeiros meses de vida e será depois ser integrada no parque animal do litoral alentejano, podendo ser vista já a partir do início de março.

 

Imagem de nit.pt

Páginas