Está aqui

mobilidade

Campo Maior vai ter uma praça nova

O centro de Campo Maior vai em breve dispor de uma nova Praça Multimodal, junto à Avenida da Liberdade.

A requalificação do espaço pretende dotar a vila raiana de um espaço que junte num só local a oferta dos transportes públicos, aumentando a qualidade da mobilidade urbana e contribuindo para a descarbonização do transporte individual em Campo Maior.

Reguengos de Monsaraz: “Foi você que pediu?”

O Município de Reguengos de Monsaraz implementou o serviço de “Transporte a Pedido” em todo o concelho.

Este serviço de transporte público surge para dar resposta a parte da população que não dispões de transporte próprio e onde a rede de transportes públicos não existe ou é deficitária, sendo um complemento e não uma sobreposição de serviços.

Vamos participar no plano de mobilidade?

Crónica eutópica #2 

Évora é uma cidade demasiado “autocêntrica” e tem sido planeada e gerida em função dos automóveis. Segundo os últimos dados disponíveis (CENSOS de 2011)  80% das pessoas que se deslocavam em Évora por motivos de trabalho faziam-no de automóvel. E cerca de 2/3  dos estudantes também se deslocavam de automóvel. Dez anos depois esses números são, certamente, bem superiores.  

Évora: Petição pública pede menos carros e mais vias cicláveis e pedonais

Está a circular uma petição pública dirigida à Assembleia Municipal de Évora para que lance um debate público urgente "sobre a necessidade de apoiar e fomentar o uso dos modos ativos de deslocação no combate à pandemia de COVID-19".

Segundo o texto daquela petição, promovida "por um conjunto de cidadãos" e que está a recolher assinaturas no concelho de Évora "em 2011, os dados do INE indicavam que 66% das deslocações em Évora se faziam em transporte individual.Hoje, a nossa percepção é a de que a dependência do transporte individual em Évora se tem acentuado ainda mais".

Maldita propaganda - não há passageiros na linha Évora-Caia

Não vai haver transporte de passageiros na Linha de Comboios Évora – Caia

A maldita propaganda!

Apesar de muitas declarações de vários governantes terem garantido que a Linha de Comboio Évora – Caia, para além do transporte de mercadorias, seria utilizada para transporte de passageiros, tivemos a confirmação nos últimos dias que tal não acontecerá.

Nisa garante transporte social e une as suas freguesias

Terá início amanhã, dia 7, o projeto da Câmara Municipal de Nisa e que garantirá o acesso aos transportes a toda a população.

Sob o nome de “Transporte Social”, os principais beneficiários serão os residentes nas freguesias rurais do concelho que verão assim melhoradas as acessibilidades entre as freguesias rurais e a sede do concelho.

A autarquia garante que este é um projeto pioneiro na área da mobilidade e transporte e garantirá uma alternativa válida e suplementar de transporte social aos munícipes das freguesias afastadas da sede de concelho.

Évora com intervenções na circulação ciclável na cidade

O município de Évora prepara-se para dar início às obras de ligação pedonal e ciclável entre o bairro do Bacelo e o Centro Histórico para "garantir melhorias de acessibilidade no setor norte da cidade e um maior equilíbrio em termos de repartição modal" com refere em comunicado. A intervenção, que é feita no âmbito do "Plano de Mobilidade Urbana Sustentável para o Concelho de Évora" estende-se também no setor sul envolvente às Muralhas, ao longo da Av.

Aljustrel exigiu variante ao Governo

O presidente da Câmara de Aljustrel, Nelson Brito, fez saber junto do secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. Oliveira Martins Governo, que Aljustrel quer a construção da circular à vila.

Esta necessidade da vila alentejana está identificada como prioritária, pela autarquia, há décadas e Nelson Brito apresentou ao Governo um projeto para a construção da circular e que será analisado em nova reunião, a ter lugar em setembro, com a intenção de que esta obra venha a integrar o Programa Nacional de Investimentos.

20 anos à espera

Assinalaram-se esta semana 20 anos da entrada em vigor da lei que prevê a obrigatoriedade da criação de acessibilidades em edifícios e ruas para pessoas portadoras de deficiência ou com dificuldade de movimentos.

A referida lei previa o prazo de 10 anos para a implementação das acessibilidades naqueles edifícios, sendo que findo esse prazo as entidades responsáveis seriam devidamente autuadas.

INTERIOR, MOBILIDADE SOCIAL E EDUCAÇÃO

Numa altura em que o tema da Educação tem sido uma constante na discussão em praça pública, maioritariamente pela dualidade das manifestações a que temos assistido em torno do apoio à escola pública ou contra os cortes nos contratos de associação, acredito, ultrapassando essa lógica de disputa, que a Educação é acima de tudo um processo de emancipação do indivíduo. Um processo, onde a aquisição de competências e habilidades sociais, tornarão esse mesmo individuo num cidadão com voz e responsabilidades, em concreto, no ambiente onde se insere.

Páginas