Está aqui

Ligação Ferroviária

Portugal e o (economicamente danoso) atraso ferroviário

O comboio continua a ser hoje, tal como à data da sua introdução em Portugal durante o reinado de D. Pedro V, o meio terrestre de transporte de passageiros e mercadorias mais eficaz e rentável. Um comboio tem a capacidade de transportar quantidades massivas de bens a um custo consideravelmente mais baixo que qualquer outro meio terrestre, fazendo deste meio de transporte um imbatível motor de desenvolvimento económico por toda a dinâmica que este proporciona ás economias que nele apostam.

Ligação Évora-Lisboa com carruagens mais antigas

Na semana passada, o Observador dava conta da eminente rutura da CP por falta de equipamentos e pessoal, sobretudo falta de carruagens para circular e de pessoal para fazer a manutenção e reparações das mesmas.
 

422 MILHÕES LIGAM ALENTEJO À EUROPA

Será no início de 2018 que o plano Ferrovia 2020 para o Corredor Internacional Sul – que atravessará o Alentejo a partir de Sines e ligará com o centro da Europa - abrirá concurso para a realização das obras e prevê um investimento total de 422 milhões de euros, comparticipados por Fundos Comunitários através do mecanismo CEF – Connecting Europe Facility que contribui com 158 milhões do valor total, o que torna este projeto o maior investimento ferroviário em Portugal nas últimas décadas.

COMBOIO DE MERCADORIAS COM 460 METROS LIGA MÉRIDA A SINES

Parte hoje, quinta-feira, a primeira locomotiva do Terminal de Mérida, com destino a Portugal. Esta primeira circulação é fruto de uma parceria entre a MEDWAY e a RENFE que passou a assegurar a operação daquele Terminal desde o passado dia 15 de Novembro.

Composto por 22 vagões e com um comprimento de 460 metros, este comboio transporta 1.190 toneladas brutas de produtos estremenhos, nomeadamente concentrado de tomate e vidro, numa viagem que se prevê que dure cerca de 9 horas.