Está aqui

Lídia Serra

O esquema corporal e o tónus muscular nas crianças

A formação do esquema corporal, a correta representação mental dos diferentes segmentos ou movimentos, permitem às crianças situarem-se no tempo e no espaço e entenderem a sua posição face aos objetos.

A utilização do corpo e a noção da posição e do movimento das suas diferentes partes, ajudam as crianças a assimilar informação acerca da localização superior-inferior, medial-lateral ou interno-externo.

Para elas, o seu corpo é a sua principal referência. Conhecer o estado do tónus muscular da criança é igualmente importante na exploração e execução dos movimentos.

O esquema corporal e o tónus muscular nas crianças

A formação do esquema corporal, a correta representação mental dos diferentes segmentos ou movimentos, permitem às crianças situarem-se no tempo e no espaço e entenderem a sua posição face aos objetos.

A utilização do corpo e a noção da posição e do movimento das suas diferentes partes, ajudam as crianças a assimilar informação acerca da localização superior-inferior, medial-lateral ou interno-externo.

Para elas, o seu corpo é a sua principal referência. Conhecer o estado do tónus muscular da criança é igualmente importante na exploração e execução dos movimentos.

Conquistas Neuropsicomotoras e a Qualidade de Vida das Crianças

Ao longo do seu desenvolvimento, as crianças atingem grandes conquistas neuropsicomotoras como, o controlo da cabeça para apreciarem o que existe à sua volta, o controlo das mãos que lhes permite pegar em objetos, a locomoção que possibilita a sua mobilidade pelo espaço envolvente, a posição bípede, o caminhar, o subir escadas onde, pouco a pouco, vão alternando os pés, o correr ou o saltar. Esta última fase, também é conhecida como a fase de voo, onde as crianças perdem o contacto com o solo e, através da qual, reforçam a sua autoconfiança.

Alterações no Processamento da Informação Sensorial

O tratamento das perturbações sensoriais tem vindo a ser alvo de um número cada vez maior de estudos científicos.

O desenvolvimento sensorial ocorre ao longo do tempo e a manipulação e processamento dos estímulos que se recebem, permitem a sua integração sensorial.

As normas de Denver e o desenvolvimento motor entre um mês e seis anos de idade

As normas de Denver permitem avaliar o desenvolvimento motor de crianças com idades entre um mês e seis anos.

Através do teste de Denver II é possível identificar os ganhos contínuos que a criança adquire ao nível das suas competências sociais/relacionais, linguagem e motricidade grossa e fina (Frankenburg et al., 1992). Deste modo, espera-se que aos quatro meses de idade a criança possa evidenciar controlo da sua cabeça.

A díade sensorial e motora e o uso da telereabilitação

Durante o desenvolvimento normal da criança torna-se imprescindível que a mesma explore o ambiente à sua volta, tocando e sentindo os objetos que encontra. A perceção sensorial tátil, permite à criança contactar diretamente com os vários estímulos que a rodeia, desencadeando sobre eles uma ação motora que, de acordo com o feedback que recebe, ajusta ao seu organismo e ambiente. Nas primeiras fases de vida do bebé após o nascimento, o seu comportamento é involuntário, ou seja, este reage sobre os estímulos do meio de forma automática e sem controlo voluntário do seu comportamento.

Neuropsicologia e desenvolvimento cerebral

O desenvolvimento do Sistema Nervoso Central (SNC) inicia-se com a fecundação. A constituição do cérebro humano decorre deste desenvolvimento e as suas características particulares surgem da interação entre os fatores genéticos e ambientais. Este processo dinâmico de interação provém, inicialmente, de uma interconexão entre a componente genética e o ambiente intrauterino e, posteriormente, dos genes com o ambiente externo após o nascimento.

Neurociência e Psicologia

A Neurociência é uma ciência de carácter interdisciplinar cujo objetivo é estudar o Sistema Nervoso e compreender as bases biológicas dos comportamentos. Quando a Neurociência se reúne à Psicologia, forma-se a Neuropsicologia. Esta área científica permite conhecer as relações entre o funcionamento do Sistema Nervoso, as funções cognitivas, como é o caso da nossa memória, e o comportamento.

Alentejana recebe prémio de melhor doutoramento da Universidade de Salamanca

Lídia Serra, a alentejana que venceu o prémio de melhor doutoramento da Universidade de Salamanca, recebeu o galardão na passada quarta-feira 14 de março. A Alentejana recebeu o prémio em cerimónia presidida pelo reitor da Universidade de Salamanca, Ricardo Rivero Ortega e englobada nos festejos dos 800 anos da Instituição.

ALENTEJANA VENCE PRÉMIO DE MELHOR DOUTORAMENTO DA UNIVERSIDADE DE SALAMANCA

Lídia Serra, natural de Alandroal, de 32 anos e atualmente professora no Instituto Piaget de Almada, venceu o prémio de melhor doutoramento da Universidade de Salamanca em 2017.

Lídia Serra venceu o oficialmente designado "Premio Extraordinario de Doctorado correspondiente al curso 2016/17 da Universidade de Salamanca" com o seu doutoramento.