Está aqui

José Pedro Figueira

Lendas do Alentejo, uma herança cultural a preservar

“E vós, formosas moiras encantadas,

Na noite de São João ao pé da fonte

Áureas tranças com pentes de ouro fino

Descuidadas penteando enquanto o orvalho

Nas esparsas madeixas arrocia

 E os lúcidos anéis de perlas touca…”

(Garrett 1963: 499)

Origens da gastronomia alentejana, a influência árabe na açorda

“A cozinha mais admirável é aquela capaz de conseguir um prato suculento e harmonioso utilizando somente um conjunto díspar de humildes alimentos”.

Jacinto Garcia (1999)

Bonecos de Santo Aleixo, um tesouro da cultura tradicional alentejana

Os Bonecos de Santo Aleixo, repletos de uma identidade colectiva única, representam uma inestimável forma de arte comunitária do Alentejo profundo. Um legado vivo de tradições e costumes seculares, que nos levam ao que de mais tradicional e espontâneo existe no Alentejo.

Baja Portalegre, ou como um evento desportivo se torna o meio de promoção de uma Região

O crescimento e desenvolvimento sustentado que o Alentejo tem vindo a ter nos últimos anos tem sido preconizado por um conjunto de vectores estratégicos que convergem para um dos seus grandes pilares de retorno económico – o Turismo. Com uma extensão demográfica ampla e combatendo a desertificação, a Região do Alentejo, através da sintonia entre organismos, municípios e freguesias, tem conseguido atingir níveis significativos de crescimento.

Cidadania e ruralidade

Em tempos idos, onde no Alentejo profundo as dificuldades sociais implicavam um conjunto de comportamentos que aproximavam as suas gentes, factores como a solidariedade e confiança, estimulavam o aparecimento de movimentos cívicos e associativos onde a cooperação e espontaneidade eram indicadores de relevo. No fundo, actos que de forma inata permitiam às populações intervir de forma activa perante os mais variados quadrantes da vida política, cultural e social do seu território.