Está aqui

INE - Instituto Nacional de Estátistica

Distrito de Évora perdeu mais de 14.000 habitantes na última década

De acordo com os dados obtidos pelos Censos 2021, o distrito de Évora perdeu 14.282 pessoas durante a última década. Todos os concelhos perderam habitantes, mas foi Mora que ficou no topo da lista, em termos percentuais.

Segundo os dados dos Censos do ano passado, que foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e citados pela agência Lusa, Évora contava, em 2011, com 166.726 habitantes, enquanto, no ano passado, este número se encontrava nos 152.444, o que representa um recuo de 8,6% na população.

Esperada quebra de 15% na produção de vinho

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), é esperada uma diminuição de 15% na produção de vinho.

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas, entretanto publicado pelo INE e citado pela Rádio Pax, explica que o estado sanitário das uvas foi afetado pelas chuvas do mês de setembro, apesar de estas terem contribuído para “o enchimento do bago e para o aumento do teor dos açúcares”.

Apesar da quebra na produção, é expectável que seja feita uma boa colheita e que os vinhos daí resultantes sejam equilibrados quanto ao teor de álcool e à acidez. 

 

Alentejo não escapa à subida dos valores medianos das rendas neste trimestre

O valor da renda mediana dos contratos de arrendamento (cerca de 21.000) efetuados no segundo trimestre deste ano em Portugal aumentou 8,6% em relação ao período homólogo, chegando aos 6,55 euros por metro quadrado, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e noticiados pela agência Lusa.

Turismo na região do Alentejo continua a crescer

O turismo em Portugal continua a recuperar do impacto da pandemia e a região do Alentejo também acompanha esta tendência. 

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), verificou-se um aumento do número de dormidas em todo o país em abril de 2021. No caso do Alentejo, o aumento foi de 16,7% em relação a abril de 2019. No total, esta região do país contou com cerca de 282 000 dormidas, enquanto que, em Portugal, foram registados 2,4 milhões de hóspedes e 6 milhões de dormidas em alojamento turístico durante o mês de abril.

Casas no Alentejo ficam mais caras

No mês passado, o valor médio de avaliação bancária, efetuada no âmbito de pedidos de crédito para habitação, no Alentejo, ficou nos 938 euros por metro quadrado (euros/m2).

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), citado pela Rádio Pax, os valores aumentaram 1,1% em relação ao mês de março e 9,7% em comparação com abril de 2021.

A região do Alentejo registava em abril o valor mediano da habitação mais baixo do país – nos apartamentos, o valor fixava-se nos 974 euros/m2 e nas moradias nos 902 euros/m2.

Alcácer do Sal regista aumento de dormidas no concelho

O número de dormidas no concelho de Alcácer do Sal aumentou quase 5% entre 2020 e 2021, avança o município, “perspetivando-se que os valores continuem a subir no corrente ano de 2022”.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Alcácer do Sal indica que, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística, o território de Alcácer do Sal registou 45 193 dormidas em 2020, um número que aumentou para 47 428 dormidas em 2021.

Alentejo recupera receitas turísticas dos meses de verão pré-pandemia

O Alentejo foi a única região que, nos meses de verão, conseguiu superar os valores das receitas obtidas no mesmo período de 2019, antes da pandemia de covid-19, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, citado pelo jornal Público, entre julho e setembro os alojamentos localizados no Alentejo (não são contabilizadas as unidades de alojamento local com menos de 10 camas) tiveram proveitos totais de 79,9 milhões de euros, 5% acima das receitas desses mesmos três meses em 2019.

Previsões apontam para aumento de 5% na produção de vinho

O Instituto Nacional de Estatística (INE), nas suas previsões agrícolas para 30 de setembro, aponta para um aumento da produção de vinho de 5% este ano, face à campanha de 2020.

De acordo com a mesma fonte, citada pela Rádio Pax, o crescimento da produção na generalidade das regiões vitivinícolas compensa as quebras observadas na região vitivinícola do Minho.

O INE sublinha ainda que “os mostos apresentam bom equilíbrio na relação entre a acidez e os açúcares (ainda que com teores de açúcar inferiores ao habitual), perspetivando-se a obtenção de vinhos de boa qualidade”.

Alentejo: casas vendidas totalizam os 386 milhões de euros

A região do Alentejo foi responsável por 7,3% do volume total de transações de habitações em Portugal, entre abril e junho de 2021, com 3 834 habitações transacionadas, num total de 386 milhões de euros, revela a Rádio Pax.

Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE), que adiantam que, em Portugal, no 2.º trimestre de 2021, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos e 1,4% acima do observado no trimestre anterior.

Alojamentos turísticos no Alentejo apenas perderam 2% de proveitos

O setor do alojamento turístico registou este mês de julho proveitos totais de 296,9 milhões de euros, valor que representa uma subida de 87% face ao mesmo mês do ano passado, mas que é inferior em 44,5% quando comparado com julho de 2019, antes dos efeitos negativos da pandemia de covid-19.

Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), citados pelo Público, os efeitos fazem-se sentir de forma distinta pelo território nacional, com o Alentejo a perder apenas 2% em relação a julho de 2019, com 22,3 milhões de euros de proveitos.

Páginas