Está aqui

História

Hoje é dia de Portugal porquê?

Hoje, 10 de junho, é Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Sendo a História de Portugal rica em datas célebres, porquê esta? Porquê hoje?

A resposta está logo na própria designação do dia “Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas” e esta escolha aconteceu por ter sido este, alegadamente, o dia da morte de Camões, um dos expoentes máximos da Língua e Literatura nacionais, em 1580. Sendo também ele uma voz dos Descobrimentos e de ligação de Portugal ao mundo português espalhado por todo o globo, a escolha recaiu assim na data de hoje.

O dia D foi há 76 anos

Em linguagem militar significa o dia da decisão, o dia de início de uma operação militar de combate.

A sua utilização remonta à Primeira Grande Guerra e foi utilizada pelo exército norte-americano “D-Day”. Hoje em dia, a expressão vulgarizou-se de tal modo que é utilizada de modo geral por toda a sociedade para enunciar um dia em alguma coisa se desenvolverá ou acontecerá.

Hoje, 6 de junho, celebra-se o aniversário de um dos “Dias Ds” mais importantes da história do mundo: os 71 anos do Desembarque na Normandia, por parte das tropas aliadas, em plena 2ª Guerra Mundial.

Como se celebra o 25 de Abril pelo Alentejo

Dadas as restrições sociais impostas pela COVID-19, este é um abril diferente, e também as celebrações da revolução dos cravos foi adaptado em algumas autarquias.

Quando o sol foi posto ao centro

“Portanto, concluo que o nosso modo de chegar ao conhecimento, como chegamos lá e o número de coisas que conhecemos, é infinitamente superado pelo conhecimento divino; mas não por esse motivo o desvaloriza o suficiente para considerá-lo absolutamente nada; de facto, quando considero quantas coisas maravilhosas os Homens estudaram e operaram, reconheço e compreendo claramente que a mente humana é a obra de Deus e a mais excelente.“ —  Galileu Galilei

 

122 anos de Marvão celebrado com novas luzes

Celebra-se esta semana, sexta, dia 24 de janeiro o 122º aniversário da restauração do concelho de Marvão.

Estremoz cria carta arqueológica e quer aumentar número de turistas

O Município de Estremoz vai criar a carta arqueológica do concelho. Entre os diversos objetivos desta iniciativa estão o registar e valorizar do património arqueológico existente e usá-lo para potenciar o turismo e o desenvolvimento económico, além de ser um auxílio no que toca ao ordenamento do território.

Esta semana o projeto deu o primeiro passo após a assinatura de um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Estremoz e a Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora (UÉ).

No Alentejo há uma aldeia com mil heróis

Hoje é 1 de Dezembro, Dia do Restauração da Independência, e várias terras alentejanas viram o seu nome gravado na História neste dia: Vila Viçosa, Évora, entre outras, mas há mais. Há uma aldeia alentejana que neste dia teve mil heróis. Sabe qual é?

Há 101 anos assinavam o fim da Guerra

Às 11 horas de hoje, 11 do 11, há 101 anos, entrava oficialmente em vigor o armistício que punha um fim formal à Primeira Grande Guerra.

Há 30 anos, o povo derrubou o muro!

Se a bipolarização do mundo no pós-Segunda Guerra mundial se pudesse resumir a um símbolo, esse seria certamente o Muro de Berlim, "die Berliner mauer".

"Cresce junto, o que é para estar junto" disse Willy Brandt, ex-chanceler alemão, sobre os acontecimentos de 1989, o ano em que o muro que separou a cidade de Berlim em dois durante 28 anos - separando famílias e amigos - foi derrubado. Desse acontecimento passam hoje, 9 de novembro, 30 anos e foi um dos momentos mais importantes da história do século XX.

Vila Viçosa recupera 3 telas do séc. XVIII

Em Vila Viçosa, a Santa Casa da Misericórdia local promoveu, em setembro, a intervenção de restauro em três telas do século XVIII.

As três obras são provenientes da Ermida de Santo António de Aldeia de Fidalgo, situada na freguesia de Rio de Moinhos, concelho de Borba, e são propriedade da Instituição.

Páginas