Está aqui

Ferrovia

António Costa em Évora para adjudicação de troço ferroviário

O Primeiro Ministro António Costa, desloca-se na próxima segunda-feira, dia 11 de fevereiro, a Évora, para a adjudicação da empreitada de construção do troço ferroviário entre Évora Norte e Freixo da nova ligação Sines/Caia.

Segundo a Infraestruturas de Portugal (IP), a cerimónia realiza-se, na segunda-feira, a partir das 10:50, no edifício da Assembleia Municipal do Redondo, em Redondo. Para além de António Costa, participará também na iniciativa, Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

 

Sete municípios alentejanos defendem terminal de carga ferroviário em Alandroal

Os municípios de Alandroal, Borba, Estremoz, Reguengos de Monsaraz, Redondo, Sousel e Vila Viçosa juntaram-se para defender a construção de um terminal de carga ferroviário em Alandroal, que sirva toda a região e já conseguiram pelo menos convencer a Infraestruturas de Portugal (IP) a realizar um estudo de viabilidade económica para o projeto, suportado em 50% pela IP e os restantes 50% em partes iguais pelos 7 municípios. 

Eletrificação da linha ferroviária Beja Casa Branca incluída no OE 2019

O PEV propôs e a bancada parlamentar do PS viabilizou. A proposta sobre a eletrificação da linha ferroviária entre Beja e Casa Branca foi ontem aprovada e passa a incluir o Orçamento do Estado de 2019.

Ferrovia do Alentejo tem que "valorizar Porto de Sines e Aeroporto de Beja"

O professor e investigador da Universidade do Algarve, Manuel Tão, defendeu ontem em Sines que a aposta em linhas ferroviárias alternativas e a modernização da Linha do Alentejo pode valorizar duas grandes infraestruturas na região: o porto de Sines e o Aeroporto de Beja. A tese foi defendida numa iniciativa da Plataforma Alentejo, que debateu mobilidade e acessibilidades no Alentejo e foi avançada pela Revista Cargo.

Alentejo já recebeu 700 milhões de euros em projetos empresariais

A declaração é de Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, feit ano Congresso Melhor Alentejo, em Portalegre. Mas a expectativa é que o investimento aumente com a aposta na linha ferroviário que atravessa o Alentejo e que "vai viabilizar a instalação de plataformas logísticas e industriais que criam valor para o território.

Para o Ministro estes investimentos tornam o Alentejo mais atrativo para as empresas e para o investimento e isso significa mais emprego.

Há problemas muito graves na ferrovia do Alentejo

Há poucos dias atrás tivemos audições com o Sr. Presidente da CP e com o Sr. Ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre a situação da ferrovia em Portugal. 

Esperava-se pelo menos um pedido de desculpas aos portugueses. No nosso caso um pedido de desculpas aos alentejano que:

a) têm sido sujeitos a atrasos gigantescos nas linhas do comboio da região. Nas linhas do Alentejo, os residentes desta região sabem que há sempre atrasos. Podem ser de 20 minutos ou de 2 horas. É impressionante!

Portugal e o (economicamente danoso) atraso ferroviário

O comboio continua a ser hoje, tal como à data da sua introdução em Portugal durante o reinado de D. Pedro V, o meio terrestre de transporte de passageiros e mercadorias mais eficaz e rentável. Um comboio tem a capacidade de transportar quantidades massivas de bens a um custo consideravelmente mais baixo que qualquer outro meio terrestre, fazendo deste meio de transporte um imbatível motor de desenvolvimento económico por toda a dinâmica que este proporciona ás economias que nele apostam.

Ferrovia: avaria entre Beja e Casa Branca colocou em “risco a vida das pessoas

O deputado do PCP por Beja, João Dias, considera muito grave o sucedido na passada semana na linha entre Beja e Casa Branca, quando uma avaria numa composição da CP colocou em "risco a vida das pessoas". 

Subtroço ferroviário Évora - Redondo de 65 milhões já tem 13 candidatos

A Infraestruturas de Portugal (IP) está a apresentar as proposta recebidas para a construção do subtroço entre Évora Norte e Freixo (Redondo), que vai integrar o futuro Corredor Internacional Sul, e já tem 13 candidatos, que pretendem construir os 20,5 quilómetros de via-férrea, sobretudo organizados em agrupamentos de empresas.
 

Páginas