Está aqui

Estado de Emergência

PSP e GNR já detiveram 225 pessoas e encerraram 2019 estabelecimentos

Desde que o Estado de Emergência foi renovado no dia 3 de abril, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública detiveram 117 pessoas por crime de desobediência, das quais 28 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 55 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, 4 por desobediência de interdição de circulação fora do concelho no período da Páscoa, 11 por desobediência ao encerramento de estabelecimentos, 6 por resistência e 13 por violação da cerca sanitária de Ovar.

Autoridades já detiveram 90 pessoas e encerraram 1633 estabelecimentos

Desde a declaração do Estado de Emergência, em vigor desde as 00h00 do dia 22 de março, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm estado mobilizadas para a sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população. Até às 18h00 de ontem, 1 de abril, foram detidas 90 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

No mesmo período, foram encerrados 1.633 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

 

Polícia e GNR podem mandar parar e ordenar que voltem para casa

Face à situação gerada ontem na Ponte 25 de Abril em Lisboa, com centenas de carros a serem barrados pela polícia e depois da capa do jornal "Público" de hoje, 29 de março, que diz “Polícias pedem justificação de viagem sem base legal", o Ministério da Administração Interna (MAI) viu-se forçado a esclarecer que facto de não ser obrigatória a apresentação de um documento que justifique a circulação rodoviária em período de Estado de Emergência - onde vigora o dever geral de recolhimento - tal não afasta a plena competência de fiscalização rodoviária das Forças de Segurança.