Está aqui

Edia

Sabe mesmo o que está a acontecer no Alqueva?

Muito se fala de Alqueva e de como mudou a paisagem do Alentejo, tornando-o mais produtivo e mais competitivo. Era essa a ideia. Contudo o Alqueva é também notícia pelo que produz e pelo que não produz. Para compreendermos o que se está a passar realmente em Alqueva em termos de produção agrícola é importante consultar o Anuário Agrícola de Alqueva de 2019.

Arrancou a construção dos novos blocos de rega do Alqueva de 23,2 milhões

A construção dos dois novos blocos de rega de Alqueva, o de Évora e o de Cuba-Odivelas (Beja), já estão em construção, num investimento global que ultrapassa os 23,2 milhões de euros, revelou a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), em comunicado.

Estes dois novos blocos de rega abragem cerca de seis mil hectares sendo que o bloco de rega de Évora tem cerca de três mil hectares e abrange as freguesias de Horta das Figueiras, Nossa Senhora de Machede e Torre de Coelheiros.

Chuva não chega para tirar o Baixo Alentejo da condição de seca

As últimas semanas têm sido pródigas em chuva, com as barragens nacionais a registarem a recuperação do volume da água armazenada, mas também muitas cheias, destruição de propriedade, 2 mortos confirmados e um desaparecido.

Contudo e apesar de toda a chuva a seca vai manter-se nas zonas mais críticas do país, nomeadamente no Baixo Alentejo e no Algarve.

Alqueva com "as melhores medidas de compensação ambiental" alguma vez feitas no País

A Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA) apresenta uma das suas mais bem conseguidas medidas de compensação ambiental alguma vez realizada em Portugal. Numa albufeira, o imenso bosque plantado há anos cresce frondoso. A peça é publicada no 'Público' e assinada por Carlos Dias.

Projeto que transforma plásticos agrícolas de Alqueva vence prémio Economia Circular

O projeto PlaCarvões "De Plásticos a Carvões Ativados – Economia circular nos plásticos agrícolas e urbanos", desenvolvido em consórcio liderado pela EDIA, com a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, (CIMAC); a empresa Gestão Ambiental e de Resíduos, EIM, (GESAMB), e a Universidade de Évora, financiado pelo Fundo Ambiental, venceu o Prémio Economia Circular nas Instituições Não Empresariais do Alentejo, atribuído pela Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL) e Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA).

Novos blocos de rega de Alqueva custam 235 milhões e já estão em construção

Os 13 novos blocos de rega de Alqueva, que vão custar 235 milhões de euros e aumentar em cerca de 50 mil hectares a área regada pela aquela barragem, já estão em construção.

Os novos blocos de rega, sete em Beja, cinco em Évora e um em Santiago do Cacém, integram a segunda fase do Programa Nacional de Regadios e deverão estar prontos e a operar em 2023

E se a água do Alqueva não chegar?

As dúvidas começam a surgir após o aumento da área de rega e da persistência de largos e frequentes períodos de seca mais frequentes e prolongados e que podem colocar em risco, a curto prazo, a sustentabilidade e os projetos de regadio existentes e que são já cerca de 200 mil hectares.

Alqueva vai apoiar produção local de produtos agroalimentares e poupar o ambiente

A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA) vai implementar um programa que apoia a produção local de produtos agroalimentares, estimulando o seu consumo em estabelecimentos de restauração, lojas e venda de produtos alimentares.

Beja vai ter praia "logo ali ao lado"

Como o Tribuna Alentejo avançou a 21 de abril, Beja vai ter uma praia fluvial "logo ali ao lado".

A cerca de cinco quilómetros da cidade, uma iniciativa da EDIA e da Câmara Municipal de Beja vai reabilitar a Albufeira dos Cinco Reis e a sua envolvente e vai dar lugar ao Parque Fluvial dos Cinco Reis.

Jacinto-de-água está a matar espelhos de água. Só o Alqueva resiste

Chamam-lhe bela e perigosa e é fácil perceber porquê. Basta olhar para ela para reconhecer tanto a sua beleza como a sua capacidade de se multiplicar de forma surpreendentemente rápida, não fosse uma planta invasora que está a tapar e a matar os espelhos de água em Portugal. Falamos do jacinto-de-água que, gozando de muita luz solar e calor, encontra as condições ideais para cobrir vastas superfícies de cursos de água e destruir todas as espécies autóctones.

Páginas