Está aqui

economia

Gavião com 1,3 ME para incubadora de empresas não tecnológica

Em Gavião, a Câmara Municipal vai realizar um investimento de 1,3 milhões de euros para desenvolver e criar uma incubadora de empresas não tecnológicas.

As obras deverão ter início já em agosto – terá um prazo de construção de 540 dias - , uma vez que já terminou o concurso e as propostas estão já a ser analisadas, sendo a escolha revelada até final do corrente mês, aguardando depois luz verde do Tribunal de Contas.

Esta nova incubadora surgirá no logradouro do edifício do antigo seminário da vila e deverá estar concluída no início de 2021.

Beja vai ser mais acessível

Será apresentado, ao final da tarde de hoje, dia 8, a primeira fase do projeto "Beja Antiga".

Esta iniciativa da Câmara de Beja é um projeto que quer implementar percursos acessíveis no centro histórico da cidade e na sua envolvente de modo a que habitantes e turistas de todas as idades possam aceder e deslocar-se com maior facilidade pelas ruas de Beja.

Évora, Marvão e Ourique: mais 15 estrelas para o Alentejo

Novos investimentos em hotelaria podem vir a representar mais 15 estrelas para o Alentejo.

Um deles é o Paço de Valverde, em Évora, e que vir a ser recuperado e ser uma unidade hoteleira de 5 estrelas.

Concurso da ligação Évora-Elvas concluído esta semana e entregue a espanhóis

O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, revelou – após a conferência de imprensa da reunião semanal do Conselho de Ministros - que, na semana que amanhã se inicia, Portugal contratará “a maior obra ferroviária dos últimos 100 anos”.

O ministro referia-se à nova ligação ferroviária de 100 quilómetros entre Évora e Elvas – segmentada em três troços - e que irá permitir a ligação do porto de Sines a Espanha.

Campo Maior já exporta gás natural

No passado mês de janeiro, o Sistema Nacional de Gás Natural exportou, pela primeira vez, gás natural pela interligação de Campo Maior, como revelou a REN (Redes Energéticas Nacionais).

Esta ligação existe há cerca de 22 anos, mas só agora a vila alentejana a viu ser usada para exportar gás natural para Espanha e, no dia 10 de janeiro, o fluxo total de gás para abastecimento do sistema espanhol foi de perto de um milhão de metros cúbicos.

Tecido empresarial cresce em Évora e diminui em Beja e Portalegre

Um relatório da multinacional Iberinform – uma empresa especializada na gestão de risco, prospeção e cobrança - o tecido empresarial cresceu em Évora e diminuiu em Beja e Portalegre, em 2018.

O crescimento do distrito de Évora situa-se nos 7,3%, o que significa um aumento de quase seis centenas de empresas, 571. No cômputo entre empresas que abriram e outras que cessaram, o que os números registam são trinta e nove novas empresas, face a 2017.

Campo Maior: Turismo e Património na agenda para 2030

No dia 2 de fevereiro, no Centro Cultural de Campo Maior, decorrerá o Fórum “Pensar Campo Maior 2030” e que é subordinado ao tema “Turismo e Património – Desafios e Oportunidades do Alentejo”.

Esta iniciativa pretende ser um espaço de debate e reflexão coletiva e de onde possam surgir contributos para esclarecer e marcar os melhores caminhos para o desenvolvimento do concelho na próxima década, até final da atribuição de dos fundos comunitários.

Marvão: vai ser difícil evitar a visita em 2019

Neste ano de 2019, Marvão – que celebrou esta semana o 121º aniversário da Restauração do Concelho - pode tornar-se num destino inevitável.

Para tal contribui o vasto e variado calendário de eventos e que se alia à já conhecida beleza natural e patrimonial.

Eurocidade Elvas, Campo Maior e Badajoz juntos na FITUR 2019

O atual presidente da Eurocidade EUROBEC, o Alcaide de Badajoz, Francisco Javier Fragoso e e os Vice-Presidentes da EUROBEC, os Presidentes das Câmaras Municipais de Elvas e de Campo Maior, apresentaram a Eurocidade EUROBEC, como destino turístico internacional, esta semana, na Feira Internacional de Turismo de Madrid, a FITUR.

Alentejo é a região do país com mais pedreiras em perigo

O Alentejo é a região do país com mais pedreiras em perigo.

Das cerca de 300 pedreiras do Alentejo, 191 têm trabalhos suspensos ou abandonados e 17 estão em situação crítica no que toca aos riscos de derrocada.

Os dados surgem num documento do Governo e que surge após a tragédia de Borba. Estas informações forma dadas a conhecer pela edição do jornal Expressos deste fim de semana e refere mesmo que em muitos dos casos é urgente tomar medidas rápidas de modo a evitar a repetição da tragédia de Borba e evitar o colapso ou o abatimento de estradas.

Páginas