Está aqui

Drones

Drones fabricados no Alentejo patrulham as costas de França

Drones fabricados pela Tekever no centro de Negócios e Indústria Aeronáutica/ AeroEspacial, do Aeródromo Municipal de Ponte de Sor, os AR5, tem sido os drones utilizados em várias missões de patrulhamento e vigilância em vários países das União Europeia, como é o caso da França, onde a sul, em Istres, têm patrulhado a costa mediterrânica.

Évora reúne projeto inovador para a digitalização agroflorestal

O CEiiA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto e a brasileira Elio Tecnologia vão criar uma nova empresa para monitorização e digitalização agroflorestal. Este novo projeto vai ser apresentado hoje, sexta-feira, em Évora, no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia.

Em comunicado citado pelo jornal Expresso, as empresas afirmam que a iniciativa promete “revolucionar o setor”, tendo por base o desenvolvimento e produção de veículos aéreos não tripulados inovadores.

Ministro espera que drones de vigilância a incêndios voltem ao normal

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, afirmou esta terça-feira no Algarve que espera que os “drones” de vigilância florestal da Força Aérea Portuguesa (FAP) voltem à normalidade “daqui a uns dias”, adianta a agência Lusa.

As declarações surgiram a propósito do anúncio da FAP em suspender as operações com os seus “drones” até à conclusão da investigação à aterragem forçada de um destes aparelhos no passado dia 5 de setembro, no concelho de Alcácer do Sal.

PONTE DE SOR DESENVOLVEU SISTEMA DE BLOQUEIO DE DRONES

O problema criado por incidentes que envolvem drones, sobretudo junto de aeroportos, levou o governo a definir regras de utilização dos aparelhos, como o registo do proprietário e o seguro, e a decidir avançar com bloqueadores destes aparelhos com o fim de proteger áreas sensíveis como são precisamente os aeroportos.

DRONES

Todas as semanas têm surgido notícias de incidentes causados por drones que são colocados a voar em zonas não permitidas por lei, nomeadamente junto a aeroportos e zona de aterragem e descolagem de aviões.

Apenas na semana passada se ouviram que foram abertos alguns processos de contraordenação a proprietários de drones que poderiam ter causado mais do que “meros incidentes”.