Está aqui

Cultura

Museu Berardo Estremoz vai abrir este mês

O museu com a maior coleção privada de azulejos de Portugal vai abrir, dia 25 deste mês, em Estremoz.

Beja melhora informação aos turistas com 23 totens

A Câmara Municipal de Beja instalou 23 totens informativos e uma mesa interpretativa em várias locais de relevo do seu centro histórico.

O objetivo é melhorar a informação aos turistas e visitantes, e, em consequência contribuir para a dinâmica turística do concelho.

Dia 10, há Buba para todos

Dia 10, chega o primeiro álbum do alentejano Buba Espinho em formato CD.

Bernardo Espinho, mais conhecido no meio artístico por Buba, é natural de Beja e foi uma das caras e vozes que marcou também a renascença do Cante Alentejano e o seu enraizamento nas novas gerações, tendo integrado diversos grupos como A Moda Mãe, Os Bubedanas, Mestre Cante e Há Lobos Sem Ser na Serra e, na vertente do fado, em 2016, venceu mesmo a Grande Noite do Fado no Coliseu dos Recreios

És um abutre!

Esta é a história de Feliciano Fortunato da Silva Feliz. Não é uma história qualquer, mas uma fábula que procura apelar ao vosso sentido de compaixão mais profundo por uma criatura que apesar do nome, foi sempre o oposto. Nascido abutre, era tão feio como a própria ave. Tinha no seu bico e face todas as características negativas que faziam dele temível. Nasceu careca e sem penas. Dotado apenas de uma leve penugem, as penas lá foram crescendo. Em todos os lugares menos na cabeça. Sempre foi discriminado, por todos.

Mantodea

Chamava-se Mantodea. Tinha 28 anos e um curso universitário. Era uma criatura de pernas longas e um vestido verde longo de gala, uma mulher linda! Sabia que o era. E fazia uso disso. Mantodea depois de acabar o curso mudou de cidade e foi viver para o Algarve. Antes, em Beja, sempre fora uma rapariga discreta. Numa cidade de insectos, Mantodea fez o seu percurso de forma muito discreta. Andou de um lado para o outro e em Beja era uma pessoa que passava despercebida. Nunca ninguém notou que Mantodea era, verdadeiramente, uma assassina. Nem eu sabia.

Lobo em pele de cordeiro

Nascido nas Beiras, João Lobo era um rapazinho ambicioso. Fez os seus estudos numa escola secundária pública e sempre foi o melhor aluno.

João Lobo nunca tinha tido uma nota abaixo de 95 por cento em todas as disciplinas. Quando terminou o secundário decidiu enveredar por uma região diferente do país. Foi para o Alentejo. A sua primeira preferência era a área mais calma do país e aquela que, na minha opinião, era a mais rica na vida académica, sem prejuízo de todas as outras. João Lobo fez economia em Évora e aí se tornou Doutor nos mesmos estudos.

Carlão dá concerto em Rio Maior em iniciativa solidária

O Cine-Teatro de Rio Maior vai receber um concerto de Carlão sábado, dia 20 de junho, pelas 21h30, a propósito do Festival Regresso ao Futuro.

Ponte de Sor lança Prémio Literário José Luís Peixoto 2020

Apesar pandemia de COVID-19 e consequente Estado de Emergência, o Município de Ponte de Sor e a Biblioteca Municipal empenharam-se em encontrar soluções para a continuidade do Prémio Literário José Luís Peixoto 2020 e, embora com algumas alterações excecionais ao regulamento e que surgiram fruto destes tempos inesperados, o concurso irá decorrer.

As alterações são as seguintes:

Beja cancela eventos previstos

Vivendo Portugal e o mundo ainda tempos de incerteza face à pandemia da Covid-19, a Câmara Municipal de Beja decidiu não realizar alguns eventos icónicos marcantes do concelho e do Alentejo.

Esta decisão incide essencialmente sobre o 16º Festival “Palavras Andarilhas”, prevista para agosto e a realização da 3ª edição da Feira “Patrimónios do Sul”, marcada para outubro, e que reúnem milhares de pessoas.

Hoje é dia de Portugal porquê?

Hoje, 10 de junho, é Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Sendo a História de Portugal rica em datas célebres, porquê esta? Porquê hoje?

A resposta está logo na própria designação do dia “Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas” e esta escolha aconteceu por ter sido este, alegadamente, o dia da morte de Camões, um dos expoentes máximos da Língua e Literatura nacionais, em 1580. Sendo também ele uma voz dos Descobrimentos e de ligação de Portugal ao mundo português espalhado por todo o globo, a escolha recaiu assim na data de hoje.

Páginas