Está aqui

Chuva

Chuva intensa provocou cerca de 40 inundações no Alentejo

A chuva intensa que se fez sentir nesta quinta-feira à tarde no Alentejo provocou cerca de 40 inundações em habitações e vias públicas, sem causarem danos pessoais, de acordo com a Lusa.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora indicou que, no distrito, foram registadas 18 inundações até às 18:00, em habitações e vias públicas. Na cidade de Borba ocorreram 10 inundações, sendo a mais afetada.

Ainda segundo o CDOS, houve ainda três inundações em Évora, e as restantes em Arraiolos, Mourão, Portel e Viana do Alentejo.

Portugal continental sob aviso amarelo devido a chuva

Todos os distritos de Portugal continental estão hoje, quinta-feira, sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada, devido a uma depressão, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, os distritos de Portalegre e Évora vão estar sob aviso amarelo entre as 12h as 18h de hoje, enquanto que o distrito de Santarém vai estar sob aviso amarelo entre as 12h e as 15h, e o distrito de Beja entre as 09h e as 15h.

Ainda a tempestade de Évora: foram batidos todos os recordes de chuva por hora

Desde que Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Évora (UÉ) mede a precipitação, nunca haviam sido registados valores próximos dos registados com a tormenta que se abateu em Évora, no final da tarde de terça-feira.

Choveu em 24h mais que todo o ano passado, mas não chega para o Alqueva encher

O Alentejo e o país estão debaixo de muita chuva. No distrito de Portalegre, nas últimas 24 horas choveu mais que todo o ano passado, numa informação prestada à Rádio Portalegre pelo gestor da Associação de Beneficiários do Caia, Aristides Chinita.

As chuvadas recentes representaram um aumento do nível da água em 90 centímetros.    

Cuidado, não se molhe

Este fim de semana vai ser novamente marcado pela chuva pelo que não se deve esquecer do guarda chuva e dos impermeáveis.

As previsões do Instituto Português da Atmosfera (IPMA) para este sábado céu muito nublado e prevê períodos de chuva que podem passar a aguaceiros; as temperaturas mínimas vão descer, sendo que, nos pontos mais altos da Serra da Estrela, pode haver queda de neve.

Beja estará entre os 12 e os 18 graus, Évora entre os 11 e os 18 graus e Portalegre entre os 9 e os 13.

Mau tempo obriga Sines a cancelar fogo de artifício no 25 de Abril

A previsão de mau tempo para amanhã, 24 de abril, está a obrigar o Município de Sines a proceder a alterações na sua programação do 25 de abril, tendo já cancelado o espectáculo previsto de fogo de artifício e o set de Dj.

O espectáculo em Sines, que é encabeçado por um concerto de Miguel Araújo, foi também transferido do Castelo de Sines para o Pavilhão Multiusos de Sines.

Imagem de capa de Rádio Sines.

 

Chuva vai estragar carnaval em todo o país e o Alentejo não é excepção

Segundo as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) as temperaturas preparam-se para descer nos próximos dias e a chuva vai chegar a todo o país durante do fim de semana, com excepção do Alentejo, onde só se prevê chuva para Beja a partir de segunda-feira, também para Évora a partir de segunda-feira e para Beja a partir de terça-feira da próxima semana.

Quanto a temperaturas e para o fim-de-semana, Beja terá mínimas de 7º e máximas de 22º, para Portalegre o IPMA prevê mínimas de 10º e máximas de 20º e finalmente para Évora, minímas de 5º e máximas de 22º.

TRÉGUA NOS INCÊNDIOS. CHUVA VOLTA HOJE AO ALENTEJO

A chuva volta hoje ao Alentejo, dando trégua ao período de seca que atravessa o país.
 

CHUVA VOLTOU COM ALERTA AMARELO PARA O ALENTEJO

Com quase todo o território alentejano em seca severa ou extrema e a sofrer de medidas restritivas na utilização da água, a chuva voltou hoje um pouco por todo o Alentejo com o Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA) a colocar o Alto Alentejo e o Alentejo Central em Alerta Amarelo por causa dos aguaceiros, por vezes fortes, que podem ser acompanhados de trovoada, de granizo e rajadas de vento.

DIA DE CHUVA

Chovia como quem na derramava. Era tanta a água que, deste lado do vidro, esvaziava os pensamentos enquanto os baldes se enchiam, lá fora, apanhando a água que os beirais retiam também. Os meus olhos fixavam-se num ponto que mudava constantemente e parecia que nada fazia sentido… as imagens não paravam de correr e o desconcerto era total. Não se admirem, pois, se as minhas imagens que veiculo neste texto, não façam sentido, elas também.

Páginas