Está aqui

Cal

Há quem não desista de caiar no Alentejo, um hábito já quase extinto

A palavra cal provém do latim ‘calce'/'calces' e crê-se que deriva do pré-celtico, em que significava “rochedo' ou “abrigo” e é um composto químico identificável como óxido de cálcio.

Chega o calor e começam as caianças. Dá-se início a mais um processo distintivo do Alentejo onde as casas voltam a ser de um branco reluzente e tudo renasce, ano após ano, em cumprimento de uma tradição funcional e ancestral. Ou aliás, renascia, já que a cal tem vindo a ser abandonada e aquele branco característico e luminoso já começa a rarear no Alentejo.

CAIAR SEMPRE

Chega o calor e começam as caianças. Dá-se início a mais um processo distintivo do Alentejo. As casas voltam a ser de um branco reluzente e tudo renasce, ano após ano, em cumprimento de uma tradição funcional e ancestral.

A cal possui propriedades única: de proteger do calor, da humidade e é antibacteriana e antifúngica. Propriedades que nem todas as tintas da era moderna possuem.