Está aqui

Adega da Cartuxa

Foral de Évora tinto e branco com nova imagem

A tradição da produção vinho em Évora e na sua região remonta a tempos imemoriais. A Fundação Eugénio de Almeida – Adega Cartuxa - quis honrar esta tradição vinícola e comemorar os 500 anos do Foral de Évora lançando no ano 2000 a primeira colheita do vinho Foral de Évora Tinto.

No rótulo o vinho Foral de Évora Tinto e Foral de Évora Branco (que surgiu dois anos depois) era representada uma imagem do brasão real de D. Manuel que outorgou o histórico Foral de Évora.

Adega da Cartuxa lança nova colheita Pêra-Manca a 220 euros a garrafa

A Adega Cartuxa da Fundação Eugénio de Almeida, em Évora acaba de lançar uma nova colheita do vinho mais emblemático do Alentejo. O novo Pêra-Manca Tinto custa à saída da Adega 220 euros a garrafa e tem edição limitada a 20.000 garrafas.

ÉVORA: VIVINO COLOCA PÊRA MANCA ENTRE 50 MELHORES VINHOS DO MUNDO

A Vivino, a aplicação digital de vinhos mais popular do mundo, com 26 milhões de utilizadores, abriu uma votação junto dos seus seguidores para definirem o top 50 dos vinhos de todo o mundo. Há 5 vinhos entre os 50 melhores, mas apenas um alentejano, o célebre Pêra Manca.

O vinho da Adega da Cartuxa recebeu 4,7 pontos de avaliação média e, com um preço médio de 427,50 euros, está no 28º lugar do top 50 da Vivino.

NASCEU UMA BIBLIOTECA DE VINHOS EM ÉVORA

Entre algumas das melhores coisas que se fazem no Alentejo, o vinho, sem dúvida, está no topo da lista. Assim como alguns dos produtos da terra que enriquecem a gastronomia local e os petiscos servidos entre amigos, como as tábuas de paio do lombo, bochechas de porco, pimentão da horta ou os cogumelos. A pensar na identidade local, a Enoteca da Cartuxa oferece uma combinação única das duas coisas, sob a supervisão do chef Vítor Sobral.

Banco de Voluntariado da Fundação Eugénio de Almeida distribui cabazes de fruta

O Banco de Voluntariado da Fundação Eugénio de Almeida organizou uma iniciativa no âmbito do projecto PVP (Projeto de Voluntariado de Proximidade) que consistiu na apanha da laranja no pomar do Páteo de S. Miguel (propriedade da Fundação), na reciclagem de caixas de vinho da Cartuxa (propriedade da Fundação) para a elaboração de cabazes de fruta e na distribuição destes cabazes por um conjunto de beneficiários, sobretudo idosos, moradores em várias freguesias da cidade de Évora.