Política Nacional

Covid-19: população alertada por SMS

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em colaboração com a Direção Geral da Saúde (DGS), enviaram hoje mensagens sms para o telemóvel de milhões de portugueses sobre o Covid-19.

A intenção é a de informar os cidadãos acerca da situação de risco relacionada com a pandemia da COVID-19 e resulta da Situação de Alerta declarada pelo Ministro da Administração Interna e pela Ministra da Saúde na semana passada.

 

 Alentejo fecha as portas a Espanha

Desde ontem, segunda, que o Alentejo tem fechadas várias fronteiras para Espanha, estando só abertas as fronteiras de Marvão (Portalegre) - Valência de Alcântara; Caia (Elvas) – Badajoz e Vila Verde de Ficalho (Beja) - Rosal de la Frontera.

Mesmo nestas fronteiras, a circulação está condicionada a circunstâncias específicas como transporte de mercadorias, trabalhadores transfronteiriços, elementos do corpo diplomático e da área da saúde.

Escolas alentejanas abertas para apoio a carenciados e filhos dos trabalhadores de serviços especiais

 

No âmbito das medidas extraordinárias e de carácter urgente de resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus, elencadas no Decreto-Lei n.º 10-A/2020, está publicada no sítio da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares a lista das escolas que servirão refeições aos alunos no escalão A que as solicitem; e das escolas disponíveis para receber os educandos dos trabalhadores de serviços especiais.

A tragédia que se avizinha

No momento em que vos escrevo, estão diagnosticadas com Covid-19 em Portugal 331 pessoas e a comunicação social anunciou há minutos a primeira vítima mortal.

No acompanhamento da pandemia do Covid-19 tenho optado por ouvir mais epidemiologistas e matemáticos do que políticos. Não por desconfiança sistemática nos últimos, mas antes por acreditar que em cada situação há boa e má informação, e que, em matéria de progressão de epidemias, os especialistas são os primeiros.

Portugal em “estado de alerta” e com apoios às empresas

O Conselho de Ministros decretou “estado de alerta” com apoios às empresas.

Esta declaração provoca muitas alterações ao habitual funcionamento social e empresarial e vem acompanhado de algumas medidas que visam minimizar os danos causados pela pandemia do Covid-19.

O Ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, apresentou as medidas correspondentes às empresas e referiu que “as medidas de alívio à tesouraria das empresas que são neste momento estabelecidas somam mais de 2.300 milhões de euros”.

Finanças adiam prazos por causa do coronavírus

O Governo já decidiu alterar os prazos dos assuntos relacionados com as Finanças devido à situação provocada pela pandemia do Covid-19.

A tutela refere que "Para mitigar o impacto económico da doença e diminuir os efeitos que eventuais medidas de contingência adotadas pelas empresas e serviços públicos”.

Deste modo, o Governo decidiu adiar os prazos das Finanças para o pagamento especial por conta até 30 de junho e da entrega declaração de IRC até 31 de julho.

No Alentejo, já pode ganhar dinheiro em troca das suas garrafas de plástico

É já uma prática comum em vários países da União Europeia (UE) e, em Portugal, agora vai poder fazê-lo em 23 grandes superfícies comerciais.

Jerónimo de Sousa hoje em Cuba

O Secretário-Geral do PCP Jerónimo de Sousa participa hoje numa conferência partidária em Cuba. A conferência que dá pelo mote "O Alentejo tem Futuro", decorre a partir das 17h30, na Biblioteca Municipal daquela vila alentejana.

.

Garantir a total transparência na atribuição dos fundos da União Europeia envolve a partilha com todos os cidadãos da informação relativa às entidades, montantes e resultados contratados.

A publicação da lista das operações aprovadas, obrigação da Autoridade de Gestão conforme regulamento comunitário, é sobretudo a garantia que toda a sociedade civil pode aceder a informação sobre os apoios comunitários. Para aceder à lista de projetos aprovados, clique na imagem abaixo.

Mais de 70% dos portugueses admite mudar de hábitos por causa do Covid-19

Os portugueses estão preocupados com o coronavírus e admitem alterar os seus hábitos. Ao todo, 79,6% pensam em trabalhar a partir de casa se a epidemia chegar, aos quais se juntam 70,4% que estão preparados para reforçar as compras para casa e 63,2% que admitem deixar de ir a eventos num futuro próximo.

Páginas