Política Nacional

COVID-19 Ministra da Agricultura com mais 15 milhões/€ para o setor dos vinhos

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes Albuquerque, aprovou ontem, sexta 19, com a publicação de uma Portaria em Diário da República, um pacote de medidas excecionais para apoio ao setor dos vinhos.

Será um reforço de 15 milhões de euros e que se destina-se à destilação de vinhos com Denominação de Origem ou Indicação Geográfica e ao apoio ao armazenamento de vinho em situação de crise.

Barrancos exige o mesmo tratamento que Mourão na abertura das fronteiras

A Assembleia Municipal de Barrancos, na última reunião realizada a 5 de junho, decidiu por unanimidade tomar uma posição sobre a abertura da fronteira com Encinasola, como avança hoje o jornal A Planície.

Beja será a sede de 5 aviões KC-390

João Gomes Cravinho, ministro da Defesa Nacional, anunciou que a Base Aérea N.º 11 de Beja (BA11) será a “sede” dos cinco aviões KC-390 que Portugal acordou comprar à Embraer.

Durante uma visita à BA11, o ministro garantiu que esta “é uma decisão recente por parte da Força Aérea, de alterar a base pensada inicialmente do Montijo – a Base Aérea N.º 6 – para Beja” ser “sede dos KC-390”.

PSD defende pacto europeu para os territórios de baixa densidade

O Eurodeputado do PSD, Álvaro Amaro, dirigiu esta semana à Comissão Europeia uma pergunta escrita, subscrita pelos colegas do PSD, onde propõe a criação de um Pacto Europeu para os Territórios de baixa Densidade: “[a Comissão Europeia] não considera necessário, neste momento histórico, criar um novo Pacto Europeu que reconheça as especificidades dos territórios de baixa densidade, com uma dotação financeira específica?”

Esquadra 101 "Roncos" muda-se hoje para a Base Aérea de Beja

Hoje, 17 de junho, pelas 11h15, realiza-se na Base Aérea N.º 11, em Beja, a Cerimónia de receção da Esquadra 101 - "Roncos", que, até à data, operava na Base Aérea N.º 1, em Sintra.

Governo vai pagar retroativos de suplementos à GNR e PSP

O Ministério da Administração Interna vai proceder ao pagamento, já a partir do próximo mês de agosto, dos retroativos referentes a suplementos não pagos em período de férias, entre 2010 e 2018, aos militares da GNR e agentes da PSP.

Alter do Chão aponta ao investimento estrangeiro com AICEP e Governo

A 19 de junho o município de Alter do Chão, com a presença do Secretário Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias e da Presidente do Concelho de Administração da AICEP, Maria Manuel Aires Serrano, assina o contrato com a plataforma Portugal Site Selection Consulting, uma ferramenta criada pela AICEP para apoiar o cumprimento de objetivos do Programa Internacionalizar, nomeadamente no apoio aos agentes económicos e decisores nacionais, na dinamização da aplicação de políticas e estratégias de captação de investimento estrangeiro, a nível regional e setorial.

Alentejo: Marcelo e Rei de Espanha na reabertura de fronteiras

Será na fronteira alentejana do Caia, que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o Rei de Espanha, Filipe VI e os primeiros-ministros António Costa o espanhol Pedro Sánchez, vão assinalar a reabertura de fronteiras entre Portugal e Espanha, no próximo dia 1 de julho.

As comemorações são essencialmente simbólicas e, nesta fronteira Caia e Badajoz, a comitiva portuguesa cruzará a fronteira para cumprimentar a espanhola; depois, cruzarão ambas as comitivas a fronteira em sentido inverso para almoçarem juntos em Portugal.

De George Floyd ao Padre António Vieira. Como uma causa justa degenera

De 25 de Maio a 11 de Junho vão apenas 17 dias de intervalo. A primeira data assinala o bárbaro assassinato de George Floyd, acerca do qual já muito se disse, ainda que, esse muito, peque por insuficiente. A segunda data assinala o ignorante e absurdo acto de vandalismo à estátua do Padre António Vieira em Lisboa. E como se todo o cenário não fosse já suficientemente pintado de tragédia, para piorar, ambas as situações acabam por estar tristemente interligadas.

Comprar empresas falidas

Todos vimos o que nos custou salvar bancos depois da crise financeira de 2008. Entre BPN, BPP, Banif, BES e CGD vamos em 17 mil milhões de euros! E o problema continua por resolver. Ainda no ano passado, o governo pediu ao parlamento autorização para gastar mais quase mil milhões com os restos de dois bancos falidos. Se em 12 anos foi a grande custo que conseguimos aproximar a situação do equilíbrio, neste momento apenas podemos imaginar o que serão os próximos anos, depois da violência com que a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus está a afetar a nossa economia.

Páginas